Avaliação de Stock Option

(Daniel Garcia | Gerente de Business Valuation

Reter talentos e alinhar os interesses dos executivos das companhias é um desafio constante para as empresas ao redor do mundo. Dentre os recursos para reter bons profissionais por longos períodos, o pacote de benefícios e remuneração que a companhia oferece parece ser um dos mais atrativos. Nesse aspecto, tem sido cada vez mais comum observar a presença das opções de ações – conhecidas no mercado como stock options – fazendo parte da remuneração de executivos, especialmente em companhias de capital aberto com ações listadas em bolsa.

Comum no mercado norte-americano há décadas, as stock options têm se popularizado entre as companhias brasileiras na medida em que o nosso mercado de capitais vai se tornando mais pujante. Mas o que seria isto, do ponto de vista prático? A concessão de stock options aos executivos permite que determinada quantidade de ações, a um preço pré-estabelecido, sejam adquiridas futuramente. Essa mecânica, que se configura como um direito de compra futura de ações pelo executivo, procura alinhar os interesses da companhia e seus acionistas aos interesses do executivo. O princípio é que o executivo se empenhe para entregar resultados positivos à companhia, de forma a refleti-los no valor das ações, gerando benefício econômico para todas as partes – acionistas e executivos.

Geralmente, as stock options estão condicionadas a requisitos estabelecidos no momento de sua concessão, por exemplo: tempo de permanência mínimo na companhia, prazo para exercício, exercício total ou parcelado das stock options, entre outros critérios que a companhia e seu acionistas considerem coerentes. Uma vez cumpridas as condições estabelecidas, o executivo poderá exercer o direito de compra das ações, pelo preço pré-estabelecido no momento da concessão.

As companhias que fazem uso das stock options como instrumento de remuneração e alinhamento de seus executivos têm o desafio de registrá-las a valor justo no balanço no momento da concessão do direito.

O Comitê de Pronunciamentos Contábeis, através do CPC-10 (Pagamento baseado em Ações), define os procedimentos para registrar as stock options nas demonstrações financeiras contábeis. O pronunciamento determina que uma entidade reconheça as operações de pagamento baseado em ações, inclusive com empregados ou outras partes, independente da forma de liquidação: em dinheiro ou em instrumentos patrimoniais da entidade (ações e opções de ações).

DETERMINAÇÃO DO VALOR JUSTO

A companhia deve mensurar, na data da concessão das stock options, o valor justo deste instrumento com base no preço de mercado destes, quando disponível, e considerando os requisitos e termos acordados com a contraparte.

Dessa forma, nos casos em que não há preço de mercado disponível, a companhia deve utilizar uma técnica de avaliação disponível e reconhecida, na data da concessão, para estimar o preço das respectivas stock options concedidas.

Dentre as técnicas de avaliação conhecidas, a fórmula de Black-Scholes-Merton tem sido largamente utilizada como modelo de precificação de opções. Desenvolvida por Robert Merton, Myron Scholes e Fisher Black em 1973, a metodologia é amplamente utilizada até hoje, especialmente pelo mercado financeiro, para precificar as opções de compra de ações. A metodologia tem uma ampla gama de aplicabilidade e criou novas áreas de pesquisa, inclusive fora da economia financeira. Métodos derivados podem ser usados para avaliar contratos e garantias de seguro, ou ainda a viabilidade de vários tipos de projeto.

A proposta de Black-Scholes-Merton é determinar o preço de uma opção em função do preço do ativo e de outras variáveis conhecidas, como o preço da ação, a taxa de juros, a data de vencimento do contrato, o preço de exercício e a volatilidade do ativo.

O modelo Black-Scholes-Merton é adequado para avaliar, sobretudo, as stock options cujo prazo do exercício ocorra no vencimento do contrato. Para contratos com requisitos complexos, que permitam o exercício do direito antes do vencimento, modelos como Binomial (BOPM) ou Simulação de Monte Carlo podem ser mais aderentes.

Se você deseja mais informações sobre avaliação de stock options, a Apsis pode ajudá-lo.

Website | + posts

Share this post

Comments (6)

  • ANA BORGES Reply

    Recomendo vivamente o seu blog/site.
    Achei-o de excelente qualidade.
    Obrigado
    Ana

    21/01/2019 at 23:43
    • Apsis Reply

      Muito obrigada, Ana.

      22/01/2019 at 13:17
  • ANA BORGES Reply

    Recomendo vivamente o seu blog/site.
    Achei-o de excelente qualidade.
    Obrigado
    Ana

    21/01/2019 at 23:43
    • Apsis Reply

      Muito obrigada, Ana.

      22/01/2019 at 13:17
  • Adriano Reply

    Bom dia,
    Gostaria de receber informações sobre os serviços de vocês para avaliação de planos de stock options. Obrigado.

    23/01/2020 at 11:07
  • Adriano Reply

    Bom dia,
    Gostaria de receber informações sobre os serviços de vocês para avaliação de planos de stock options. Obrigado.

    23/01/2020 at 11:07

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.