Fundos de Investimento Imobiliário

Investimento em FII: conheça alguns dados de mercado

O investimento em FII pode ser uma forma segura e rápida de conquistar renda. Conheça os tipos de fundos e as soluções da Apsis para esse mercado.

Os Fundos Imobiliários (FII) estão ganhando cada vez mais espaço na carteira de investimentos por serem de baixo risco e possuírem uma rentabilidade estável por longos meses. Em muitos fundos, a renda vem decorrente dos aluguéis desses imóveis, que não necessitam ser seus. Entenda mais sobre esse investimento e conheça as soluções da Apsis para fundos imobiliários.

A procura por investimentos imobiliários aumentou, fazendo crescer a indústria de FIIs e acelerando seu estágio de maturação no mercado financeiro brasileiro.  Segundo uma pesquisa do Santander junto à B3, o número de investidores apresentou alta de +650% nos últimos 3 (três) anos, impulsionando novas alternativas de investimento e resultando em captação recorde de recursos.

Evolução no número de FIIs listados e Registrados na CVM (milhares)

Fonte: Santander e B3

Esse crescimento ocorreu tanto pela apreciação do valor das cotas dos FIIs nesse período, quanto pelo volume crescente de ofertas de novos empreendimentos, como o setor de galpões logísticos, que se expandiu no ano passado principalmente pelo grande aumento das vendas por e-commerce

Nesse sentido, a pandemia da Covid-19 ajudou a consolidar esse tipo de investimento visto que as vendas online dispararam e, consequentemente, as grandes empresas varejistas precisaram melhorar sua logística de estoque. 

Com o mercado aquecido, os FIIs podem ser formas seguras e rentáveis para viver de renda, sem a necessidade de ter um imóvel físico que gera despesas e tarifas. Além disso, tem a vantagem desse tipo de investimento ser isento de Imposto de Renda (IR). Conheça as três principais classificações de FIIs.

Fundos de tijolo: investimento em empreendimentos físicos, geralmente imóveis comerciais, como por exemplo: lajes corporativas, shopping centers, hotéis, galpões de estoque e indústrias, hospitais e instituições de ensino. 

Fundos de papel:  como o nome já diz, eles focam em títulos e papéis do mercado imobiliário, como certificados de recebíveis (CRIs), letras de crédito imobiliário (LCIs) e letras hipotecárias (LHs), sem a necessidade de compra de imóveis. 

A cota de cada acionista forma parte do fundo de cada investidor. Sendo assim, quanto maior o valor que você aplicar no fundo imobiliário, maior será o número de cotas do FII que você possuirá. 

Essas cotas variam de acordo com a boa gestão do imóvel ou do setor investido. Negociadas em Bolsa de Valores, elas têm variação diária, de acordo com o interesse do mercado financeiro em comprar ou em vender o ativo.

Fundos de fundos: O investimento é feito em cotas de outros fundos imobiliários, podendo assim ser bastante diversificados. Esse tipo de fundo é vantajoso para os investidores que não desejam mobilizar tempo para escolher os fundos para montar uma carteira, preferindo uma gestão profissional.

O que considerar ao aplicar em FIIs

Diversidade de investimento é a palavra-chave. Os fundos de papel geralmente são investimentos mais seguros, já os fundos de tijolo têm se mostrado muito rentáveis, com ganhos acima da média, trazendo maior resiliência. Esse fundo também possui uma renda mensal, decorrente do aluguel dos espaços, tornando-o, assim, um fundo mais constante.

Se você tem um perfil mais moderado ou arrojado, também pode optar por fundos diferentes e balancear sua carteira de investimentos.

Outro ponto que precisa de atenção é: para que as marcações de cotas sejam validadas, o fundo imobiliário precisa passar por uma avaliação de consultoria independente – como a Apsis. Assim, o valor das cotas é fundamentada por meio de um laudo emitido pela empresa externa.

Quais as vantagens de investir em Fundos Imobiliários?

Ao investir em um fundo imobiliário, existem várias vantagens. Uma das principais é que esses títulos possuem isenção de imposto de renda. No caso dos títulos de tijolos, por exemplo, eles recebem aluguéis referentes aos imóveis de sua carteira e distribuem por meio dos dividendos, que são isentos de imposto de renda para pessoas físicas.

Baixo investimento: para os fundos de papel, os investimentos iniciais são baixíssimos. Com pouco mais de R$ 100,00 é possível comprar títulos imobiliários. Começando assim a construir uma renda com distribuição mensal dos juros que recebem dos títulos em carteira. 

Maior liquidez: caso necessite interromper a aplicação do dinheiro investido, a venda dos seus ativos é rápida.

Maior diversificação: como os fundos se aplicam em diversos ativos, o seu investimento fica protegido, ao contrário do que se ele estivesse alocado inteiramente em apenas uma fonte fixa, como por exemplo em um aluguel direto.

Proteção contra a inflação: durante a alta da inflação, os investimentos imobiliários costumam ser uma boa opção para proteger o seu dinheiro, visto que os contratos de locação possuem cláusulas de correção monetária. Em um cenário de alta nos preços, a renda do investidor aumenta na mesma proporção. O valor dos imóveis também tende a acompanhar esse movimento, uma vez que o seu custo de reposição também é afetado pela inflação.

Há algum fundo de renda considerado melhor?

Não existe uma resposta única para essa pergunta. Tudo depende do seu perfil de investidor. Caso seja mais conservador, os fundos de papel são um porto seguro, justamente por não ter necessidade de compra física de imóveis e por ser um investimento facilmente diversificado minimizando riscos. Principalmente em períodos de altas do mercado.

Relacionamos a seguir o histórico de retornos dos FIIs com o IFIX (índice que mede os FIIs) dos últimos 10 anos. Em média, o retorno médio foi de +- 10,5% a.a. Podemos observar que, mesmo em anos desafiadores, o mercado ainda se mostrou resiliente, principalmente em forma de contribuição dos dividendos, que são distribuídos periodicamente.

Histórico de retorno dos FIIs com IFIX (%)

Fonte: Economática, B3 e Santander

Ou seja, o investimento em fundos imobiliários pode trazer ótimos resultados, tanto para pequenos investidores, como para pessoas que possuem maior experiência no mercado financeiro. Ainda há grandes oportunidades no segmento, de forma a atrair o interesse de investidores e desenvolver ainda mais o mercado.

Gostou do conteúdo? Continue seguindo o nosso blog para conhecer mais a respeito. A Apsis oferece suporte completo em estruturação de FIIs e avaliação dos seus ativos.

Paulo Blanco
+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.