Matriz de risco, avaliando o que pode dar errado

A palavra risco vem do latim riscu, que significa ousar. Normalmente, relacionamos risco com a possibilidade de algo não dar certo, porém, atualmente, o conceito tem a ver com a quantificação e a qualificação das incertezas. O risco faz parte de toda atividade na vida pessoal, profissional ou nas organizações. Pode significar perdas, mas também oportunidades. No mundo das finanças, a relação risco-retorno aponta que, quanto maior o nível de risco aceito, maior o retorno esperado dos investimentos. Esse raciocínio vale tanto para investimentos financeiros como para outros negócios. No contexto da gestão de negócios, a avaliação dos fatores de risco é uma das etapas componentes dos modelos de gerenciamento do risco corporativo. Existem muitas formas de realizar essa avaliação, sendo a matriz de risco uma das mais comuns. Trata-se da análise de um grupo de informações relacionadas aos riscos verificados na organização, na qual os dados são apresentados de forma clara e objetiva,  Também conhecida como matriz de probabilidade e impacto, a matriz de riscos é uma ferramenta visual que permite checar rapidamente quais são os riscos que são iminentes e devem receber mais atenção por trazerem maior impacto para o negócio, e também a probabilidade de ocorrência de cada um, o que torna muito mais fácil o entendimento e o engajamento das equipes no processo de mitigação e priorização de riscos. A matriz de risco, portanto, é peça fundamental na implementação de sistemas de governança e compliance dentro da organização.

Implementando a matriz de riscos

Classificação do risco

Primeiramente, é necessário definir as pontuações para a probabilidade e o impacto que serão aplicados aos riscos. O próximo passo é a criação de uma tabela de classificação dos riscos, correlacionando as pontuações específicas à probabilidade e ao impacto, multiplicando linha e coluna. Com isso, são determinadas as regiões de classificação (figura abaixo).  A palavra risco vem do latim riscu, que significa ousar. Normalmente, relacionamos risco com a possibilidade de algo não dar certo, porém, atualmente, o conceito tem a ver com a quantificação e a qualificação das incertezas. O risco faz parte de toda atividade na vida pessoal, profissional ou nas organizações. Pode significar perdas, mas também oportunidades. No mundo das finanças, a relação risco-retorno aponta que, quanto maior o nível de risco aceito, maior o retorno esperado dos investimentos. Esse raciocínio vale tanto para investimentos financeiros como para outros negócios. No contexto da gestão de negócios, a avaliação dos fatores de risco é uma das etapas componentes dos modelos de gerenciamento do risco corporativo. Existem muitas formas de realizar essa avaliação, sendo a matriz de risco uma das mais comuns. Trata-se da análise de um grupo de informações relacionadas aos riscos verificados na organização, na qual os dados são apresentados de forma clara e objetiva,  Também conhecida como matriz de probabilidade e impacto, a matriz de riscos é uma ferramenta visual que permite checar rapidamente quais são os riscos que são iminentes e devem receber mais atenção por trazerem maior impacto para o negócio, e também a probabilidade de ocorrência de cada um, o que torna muito mais fácil o entendimento e o engajamento das equipes no processo de mitigação e priorização de riscos. A matriz de risco, portanto, é peça fundamental na implementação de sistemas de governança e compliance dentro da organização.

Implementando a matriz de riscos

Classificação do risco

Primeiramente, é necessário definir as pontuações para a probabilidade e o impacto que serão aplicados aos riscos. O próximo passo é a criação de uma tabela de classificação dos riscos, correlacionando as pontuações específicas à probabilidade e ao impacto, multiplicando linha e coluna. Com isso, são determinadas as regiões de classificação (figura abaixo).  A palavra risco vem do latim riscu, que significa ousar. Normalmente, relacionamos risco com a possibilidade de algo não dar certo, porém, atualmente, o conceito tem a ver com a quantificação e a qualificação das incertezas. O risco faz parte de toda atividade na vida pessoal, profissional ou nas organizações. Pode significar perdas, mas também oportunidades. No mundo das finanças, a relação risco-retorno aponta que, quanto maior o nível de risco aceito, maior o retorno esperado dos investimentos. Esse raciocínio vale tanto para investimentos financeiros como para outros negócios. No contexto da gestão de negócios, a avaliação dos fatores de risco é uma das etapas componentes dos modelos de gerenciamento do risco corporativo. Existem muitas formas de realizar essa avaliação, sendo a matriz de risco uma das mais comuns. Trata-se da análise de um grupo de informações relacionadas aos riscos verificados na organização, na qual os dados são apresentados de forma clara e objetiva,  Também conhecida como matriz de probabilidade e impacto, a matriz de riscos é uma ferramenta visual que permite checar rapidamente quais são os riscos que são iminentes e devem receber mais atenção por trazerem maior impacto para o negócio, e também a probabilidade de ocorrência de cada um, o que torna muito mais fácil o entendimento e o engajamento das equipes no processo de mitigação e priorização de riscos. A matriz de risco, portanto, é peça fundamental na implementação de sistemas de governança e compliance dentro da organização.

Implementando a matriz de riscos

Classificação do risco

Primeiramente, é necessário definir as pontuações para a probabilidade e o impacto que serão aplicados aos riscos. O próximo passo é a criação de uma tabela de classificação dos riscos, correlacionando as pontuações específicas à probabilidade e ao impacto, multiplicando linha e coluna. Com isso, são determinadas as regiões de classificação (figura abaixo).  
+ posts

Share this post

Comments (8)

  • Paulo Reply

    Gostaria de receber mais artigos nesta linha : modelos de avaliação de riscos, com foco em pequenos negócios.

    25/09/2019 at 12:50
    • Apsis Reply

      Obrigada, Paulo. Já vimos que está assinando a nossa newsletter. Esta é a melhor forma de manter-se atualizado com o nosso conteúdo. Abraços. Marketing Apsis.

      26/09/2019 at 14:04
    • Márcio Vinícius Pereira Reply

      Sim

      05/10/2019 at 17:28
  • Paulo Reply

    Gostaria de receber mais artigos nesta linha : modelos de avaliação de riscos, com foco em pequenos negócios.

    25/09/2019 at 12:50
    • Apsis Reply

      Obrigada, Paulo. Já vimos que está assinando a nossa newsletter. Esta é a melhor forma de manter-se atualizado com o nosso conteúdo. Abraços. Marketing Apsis.

      26/09/2019 at 14:04
    • Márcio Vinícius Pereira Reply

      Sim

      05/10/2019 at 17:28
  • Márcio Vinícius Pereira Reply

    Ótima matéria sobre a avaliação de riscos, muito útil.

    05/10/2019 at 17:27
  • Márcio Vinícius Pereira Reply

    Ótima matéria sobre a avaliação de riscos, muito útil.

    05/10/2019 at 17:27

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.