Médias empresas no contexto da pandemia

Novas formas de liderança e capacidade de inovação são pilares para desempenho resiliente.

Já completamos mais de um ano imersos na crise sanitária e humanitária provocada pela pandemia da Covid-19. Embora as perdas humanas sejam desoladoras e os desafios sociais ainda se mostrem abundantes, as empresas brasileiras vêm empenhando um esforço tenaz para se manterem firmes nesse cenário tão infortuno.

No último mês de maio, a Fundação Dom Cabral (FDC) divulgou o resultado de sua pesquisa a respeito dos efeitos do quadro pandêmico nas organizações, realizada com 450 companhias nacionais de médio porte entre novembro de 2020 e fevereiro de 2021. E, apesar das angústias coletivas e da grande volatilidade político-econômica, o estudo aponta algumas vitórias no caminho e elementos decisivos para que isso ocorresse.

Conforme o relatório publicado, 53% dos entrevistados relataram não terem sentido impactos negativos e 30% foram positivamente afetados desde o início da disseminação do coronavírus no mundo, em março de 2020. Mesmo sob um clima de incertezas, 34% viram, inclusive, sua produtividade crescer.

Conhecer as respostas mais eficazes às dificuldades impostas é fundamental para a construção de modelos de negócios mais produtivos e lucrativos. Sendo assim, de acordo com o documento da FDC, destacamos os fatores que propiciaram às médias empresas uma performance favorável na atual conjuntura de mercado:

  • Liderança com propósito;
  • Motivação dos colaboradores;
  • Rápida adaptação ao trabalho remoto;
  • Receptividade a inovações;
  • Implementação de novas tecnologias.

Capital humano e transformações

Assunção de riscos, reorganização de processos internos e agilidade nas tomadas de decisão foram algumas das medidas executadas pelas entidades que apresentaram os melhores rendimentos durante o primeiro ano de pandemia da Covid-19. À vista disso, a atuação conjunta de líderes e colaboradores engajados e dinâmicos foi crucial.

As lideranças capazes de indicar novos direcionamentos, por meio de uma visão sistêmica e estratégica dos seus empreendimentos, fizeram a diferença, lançando luz sobre o papel humano na superação de qualquer revés. Ainda que o investimento em tecnologia seja extremamente necessário para o aumento da produtividade, são as pessoas que conduzem as transformações.

O novo perfil de profissionais em cargos de chefia, engendrado com a crise pandêmica, entende a importância da flexibilidade e da rapidez no enfrentamento dos problemas. Por essa razão, a prática de monitorar periodicamente os objetivos foi acompanhada pelo estabelecimento de ciclos mais curtos de atingimento de metas. Dessa maneira, as empresas aceleram os possíveis ajustes em sua produção e, por conseguinte, tornam-se mais resilientes.

Em suma, o levantamento da FDC revelou que uma estrutura organizacional estável demanda mentes inquietas e funcionários motivados. Negligenciar talentos e assentar-se em padrões antiquados é uma combinação pouco segura em tempos cada vez mais desafiadores.

Em linha com essa perspectiva, a Apsis Consultoria está atenta às mudanças do mercado e segue sempre em busca de compreender os desafios internos e externos. Contamos com um time multidisciplinar e preparado para oferecer soluções mais adequadas a cada cliente e a cada situação.

Time Apsis | Fabiana Barrozo

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.