Pequenas e Médias Empresas

Em 2007, com o surgimento da Lei nº 11.638, as reavaliações dos ativos fixos foram proibidas no Brasil, com exceção de alguns casos, como a adoção do deemed cost (custo atribuído), previsto no CPC 27 e CPC PME. De acordo esses pronunciamentos contábeis, o custo atribuído é a possibilidade de a empresa avaliar seus ativos, antes contabilizados a preço de custo, pelo valor justo, o que poderia ser entendido como uma reavaliação. Entretanto, o período para adoção expirou. Em novembro de 2016, o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) publicou a primeira revisão da Norma Brasileira de Contabilidade — Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas —, a NBC TG 1000 (R1). Ela aborda diversos assuntos, sendo que um dos principais refere-se ao custo atribuído para as pequenas e médias empresas e possibilita a adoção pela primeira vez, a partir do exercício do próximo ano, sem penalidades ao profissional contábil. A adoção do custo atribuído requer a apresentação de um laudo de avaliação, feito por um especialista e em conformidade com as exigências legais e normas. O documento deverá indicar valor, vida útil remanescente e valor residual previsto, a fim de estabelecer o valor depreciável e a nova taxa de depreciação na data da adoção, qualificando a gestão empresarial e valorizando a imagem organizacional perante os bancos, fornecedores e clientes. Os administradores de todas as companhias devem prestar contas de sua administração aos sócios por meio de demonstrações financeiras elaboradas anualmente, conforme previsto no Código Civil Brasileiro. Caso isso não seja feito, a empresa e os sócios estarão sujeitos às penalidades legais. A APSIS é uma consultoria especializada e pode auxiliá-lo em todas as questões relacionadas com avaliação e gestão de ativos imobilizados. Nosso corpo técnico é formado por especialistas, e nossos laudos são elaborados em consonância com as melhores práticas do mercado, obedecendo a normas nacionais e internacionais (ABNT, IFRS, CPCs, etc.). Eduardo Rossi Em 2007, com o surgimento da Lei nº 11.638, as reavaliações dos ativos fixos foram proibidas no Brasil, com exceção de alguns casos, como a adoção do deemed cost (custo atribuído), previsto no CPC 27 e CPC PME. De acordo esses pronunciamentos contábeis, o custo atribuído é a possibilidade de a empresa avaliar seus ativos, antes contabilizados a preço de custo, pelo valor justo, o que poderia ser entendido como uma reavaliação. Entretanto, o período para adoção expirou. Em novembro de 2016, o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) publicou a primeira revisão da Norma Brasileira de Contabilidade — Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas —, a NBC TG 1000 (R1). Ela aborda diversos assuntos, sendo que um dos principais refere-se ao custo atribuído para as pequenas e médias empresas e possibilita a adoção pela primeira vez, a partir do exercício do próximo ano, sem penalidades ao profissional contábil. A adoção do custo atribuído requer a apresentação de um laudo de avaliação, feito por um especialista e em conformidade com as exigências legais e normas. O documento deverá indicar valor, vida útil remanescente e valor residual previsto, a fim de estabelecer o valor depreciável e a nova taxa de depreciação na data da adoção, qualificando a gestão empresarial e valorizando a imagem organizacional perante os bancos, fornecedores e clientes. Os administradores de todas as companhias devem prestar contas de sua administração aos sócios por meio de demonstrações financeiras elaboradas anualmente, conforme previsto no Código Civil Brasileiro. Caso isso não seja feito, a empresa e os sócios estarão sujeitos às penalidades legais. A APSIS é uma consultoria especializada e pode auxiliá-lo em todas as questões relacionadas com avaliação e gestão de ativos imobilizados. Nosso corpo técnico é formado por especialistas, e nossos laudos são elaborados em consonância com as melhores práticas do mercado, obedecendo a normas nacionais e internacionais (ABNT, IFRS, CPCs, etc.). Eduardo Rossi Em 2007, com o surgimento da Lei nº 11.638, as reavaliações dos ativos fixos foram proibidas no Brasil, com exceção de alguns casos, como a adoção do deemed cost (custo atribuído), previsto no CPC 27 e CPC PME. De acordo esses pronunciamentos contábeis, o custo atribuído é a possibilidade de a empresa avaliar seus ativos, antes contabilizados a preço de custo, pelo valor justo, o que poderia ser entendido como uma reavaliação. Entretanto, o período para adoção expirou. Em novembro de 2016, o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) publicou a primeira revisão da Norma Brasileira de Contabilidade — Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas —, a NBC TG 1000 (R1). Ela aborda diversos assuntos, sendo que um dos principais refere-se ao custo atribuído para as pequenas e médias empresas e possibilita a adoção pela primeira vez, a partir do exercício do próximo ano, sem penalidades ao profissional contábil. A adoção do custo atribuído requer a apresentação de um laudo de avaliação, feito por um especialista e em conformidade com as exigências legais e normas. O documento deverá indicar valor, vida útil remanescente e valor residual previsto, a fim de estabelecer o valor depreciável e a nova taxa de depreciação na data da adoção, qualificando a gestão empresarial e valorizando a imagem organizacional perante os bancos, fornecedores e clientes. Os administradores de todas as companhias devem prestar contas de sua administração aos sócios por meio de demonstrações financeiras elaboradas anualmente, conforme previsto no Código Civil Brasileiro. Caso isso não seja feito, a empresa e os sócios estarão sujeitos às penalidades legais. A APSIS é uma consultoria especializada e pode auxiliá-lo em todas as questões relacionadas com avaliação e gestão de ativos imobilizados. Nosso corpo técnico é formado por especialistas, e nossos laudos são elaborados em consonância com as melhores práticas do mercado, obedecendo a normas nacionais e internacionais (ABNT, IFRS, CPCs, etc.). Eduardo Rossi Em 2007, com o surgimento da Lei nº 11.638, as reavaliações dos ativos fixos foram proibidas no Brasil, com exceção de alguns casos, como a adoção do deemed cost (custo atribuído), previsto no CPC 27 e CPC PME. De acordo esses pronunciamentos contábeis, o custo atribuído é a possibilidade de a empresa avaliar seus ativos, antes contabilizados a preço de custo, pelo valor justo, o que poderia ser entendido como uma reavaliação. Entretanto, o período para adoção expirou. Em novembro de 2016, o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) publicou a primeira revisão da Norma Brasileira de Contabilidade — Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas —, a NBC TG 1000 (R1). Ela aborda diversos assuntos, sendo que um dos principais refere-se ao custo atribuído para as pequenas e médias empresas e possibilita a adoção pela primeira vez, a partir do exercício do próximo ano, sem penalidades ao profissional contábil. A adoção do custo atribuído requer a apresentação de um laudo de avaliação, feito por um especialista e em conformidade com as exigências legais e normas. O documento deverá indicar valor, vida útil remanescente e valor residual previsto, a fim de estabelecer o valor depreciável e a nova taxa de depreciação na data da adoção, qualificando a gestão empresarial e valorizando a imagem organizacional perante os bancos, fornecedores e clientes. Os administradores de todas as companhias devem prestar contas de sua administração aos sócios por meio de demonstrações financeiras elaboradas anualmente, conforme previsto no Código Civil Brasileiro. Caso isso não seja feito, a empresa e os sócios estarão sujeitos às penalidades legais. A APSIS é uma consultoria especializada e pode auxiliá-lo em todas as questões relacionadas com avaliação e gestão de ativos imobilizados. Nosso corpo técnico é formado por especialistas, e nossos laudos são elaborados em consonância com as melhores práticas do mercado, obedecendo a normas nacionais e internacionais (ABNT, IFRS, CPCs, etc.). Eduardo Rossi
+ posts

Share this post

Comments (8)

  • Helder Reply

    Bom dia !
    Gostaria de mais informações sobre o curso.

    09/12/2016 at 10:46
    • admin Reply

      Olá,

      Obrigada pelo contato, infelizmente não temos curso .

      Qualquer outra dúvida, entre em contato.

      Ficaremos felizes em ajudar !

      13/12/2016 at 16:34
  • Helder Reply

    Bom dia !
    Gostaria de mais informações sobre o curso.

    09/12/2016 at 10:46
    • admin Reply

      Olá,

      Obrigada pelo contato, infelizmente não temos curso .

      Qualquer outra dúvida, entre em contato.

      Ficaremos felizes em ajudar !

      13/12/2016 at 16:34
  • NELCIMARA FRANCKIN Reply

    Boa noite, gostaria de entender um pouco da especialidade da APIS nesse tema “O que muda na gestão do seu ativo imobilizado com a adoção da NBC TG 1000”

    09/12/2016 at 23:09
    • admin Reply

      Olá,

      Obrigada pelo contato, vamos te enviar um e-mail.

      Ficaremos felizes em ajudar !

      13/12/2016 at 16:34
  • NELCIMARA FRANCKIN Reply

    Boa noite, gostaria de entender um pouco da especialidade da APIS nesse tema “O que muda na gestão do seu ativo imobilizado com a adoção da NBC TG 1000”

    09/12/2016 at 23:09
    • admin Reply

      Olá,

      Obrigada pelo contato, vamos te enviar um e-mail.

      Ficaremos felizes em ajudar !

      13/12/2016 at 16:34

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.