Quanto vale uma ideia?

(Antonio Nicolau | Diretor de Business Valuation)
 
Startups são empresas que criam modelos de negócios altamente escaláveis, a baixos custos, a partir de ideias inovadoras e que usam a tecnologia de maneira intensiva. Elas são as estrelas do momento no mundo dos negócios; já há algum tempo, o Brasil também entrou nesse movimento.

Por falta de recursos, entretanto, muitos desses empreendedores iniciantes acabam inscrevendo-se em concursos promovidos pelo governo ou por empresas e instituições privadas interessadas em suas ideias, com premiações geralmente incompatíveis com o valor justo da inovação e que, portanto, podem frustrar ou desestimular nossos jovens empreendedores. Não se percebe neste mercado uma organização que lhes permita saber com segurança qual o verdadeiro potencial do know-how desenvolvido, bem como buscar proteção e fomento para a sua inovação. É inexorável a crescente demanda por tecnologia e facilidades no mundo atual. Isso nos remete a uma maior reflexão sobre o tema, para que as ideias inovadoras não fiquem restritas, em sua maioria, a “programas de calouros da tecnologia”.

O objetivo é propiciar a esses empreendedores mecanismos de medição, valoração e proteção desse bem intangível. De acordo com o International Valuation Standards Council (IVSC), bem intangível é aquele que não possui existência física, mas proporciona direitos ou privilégios aos seus possuidores, e que contribui para a geração de receita da empresa. Os primeiros passos na avaliação de um ativo intangível resumem-se à correta apreensão do conceito e ao entendimento do negócio em que esse conceito está inserido. Os ativos podem ser transferidos, vendidos ou licenciados, desde que os benefícios econômicos futuros possam ser reconhecidos e estimados de forma confiável. O know-how é uma propriedade intelectual que significa qualquer fórmula, técnica, processo, descoberta ou invento, dentre outras informações pertinentes à tecnologia desenvolvida, podendo ser protegida por patente.

As oportunidades estão no ar. Existem vários Fundos de Private Equity e outros investidores que se interessam por ideias inovadoras no campo tecnológico e aportam seus recursos em parceria com o empreendedor para viabilizar o negócio pretendido. Então, o que falta para unir as duas pontas e transformar uma ideia em ação? A resposta para essa pergunta está em uma assessoria especializada cujas atribuições podem ser divididas em algumas etapas: apoio técnico ao entendimento da utilização da tecnologia e sua viabilidade econômica, desenvolvimento do plano de negócio, elaboração de prospecto do produto direcionado ao roadshow, apresentação para potenciais investidores, assessoramento no processo de negociação entre as partes interessadas e blindagem da propriedade intelectual. Ao optar por uma estratégia como esta, ambas as pontas terão muito mais possibilidades de transformarem uma ideia inovadora em uma empresa vencedora.

Website | + posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.