Arrendamentos Mercantis (Leasings) – IFRS 16/CPC 06 (R2)

Durante o exercício social findo em 31 de dezembro de 2019, as Companhias arrendatárias que possuíam a obrigação de adoção do novo pronunciamento enfrentaram grandes desafios para o fechamento de suas informações trimestrais e demonstrações financeiras anuais. Discussões acerca do tratamento dos reajustes com base em índices de inflação, projeções de fluxo real x nominal e respectivas taxas de descontos, créditos de PIS/COFINS, cláusulas de renovações e bases de contratos foram apenas alguns dos obstáculos enfrentados.

Com a COVID-19, novas discussões potencialmente surgirão com os temas abaixo:

a) Descontos e/ou abonos de aluguéis obtidos como fruto da interrupção de operações (remensuração do contrato?);

b) Necessidade de teste de impairment do direito de uso;

c) Nova taxa incremental de empréstimos vs remensuração;

d) Avaliação da probabilidade de exercício de opção;

e) Dentre outros.

O cenário sem precedentes e as diversas incertezas, ora observados, demandarão uma abordagem conjunta de todos os profissionais envolvidos na elaboração das demonstrações financeiras.

+ posts

Compartilhar este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *