Gestão da qualidade e o valor das empresas

Em um contexto altamente competitivo e dinâmico, a gestão da qualidade é um dispositivo imprescindível para o alcance do sucesso por qualquer empresa, independentemente do porte ou da área de atuação. A grande celeridade das inovações tecnológicas nas últimas décadas, a maior interação entre clientes e marcas nos meios digitais e, por conseguinte, as tendências de mercado mais versáteis tornaram imperativos o monitoramento e os ajustes rápidos dos processos organizacionais.

Para tanto, existem diversos mecanismos adotados mundialmente. São muitas as maneiras possíveis para que uma companhia controle seu desempenho e atinja reiteradamente seus objetivos. Contudo, a International Organization for Standardization (ISO — ou Organização Internacional para Padronização, em tradução livre), na Norma ISO 9001:2015, estabelece um modelo universal: o ciclo PDCA.

Método PDCA

A gestão da qualidade pode ser realizada em quatro etapas.

  1. Plan (planejamento): definição de metas, finalidades e estratégias.
  2. Do (execução): aplicação do planejamento.
  3. Check (verificação): análise dos resultados obtidos e eventuais problemas.
  4. Act (ação): implementação das correções e melhorias necessárias.

Conforme a ISO 9001:2015, todas essas fases precisam estar fundamentadas em sete princípios, descritos a seguir.

  • Foco no cliente – O propósito de qualquer corporação deve ser atender com excelência às solicitações e expectativas dos clientes. Desse modo, propiciam-se a fidelização dos consumidores/usuários e a boa reputação da empresa.
  • Liderança diligente – A harmonia da equipe frente ao objetivo em comum e a disseminação da cultura interna entre os funcionários são responsabilidades dos gestores. Os líderes devem prezar e promover os valores e a missão empresariais, tendo em vista o alinhamento de toda a equipe.
  • Engajamento das pessoas – Todos os colaboradores devem ser competentes e comprometidos com a entrega de bons serviços e produtos aos clientes. O bom nome da marca é construído coletivamente, em todos os setores que a constituem.
  • Gerenciamento de processos – A visão sistêmica é elementar para o atingimento de resultados positivos. Todas as áreas da companhia são conectadas e compõem um organismo único; por essa razão, a gestão da qualidade envolve todos os núcleos e estágios de trabalho.
  • Melhoria contínua – O aperfeiçoamento dos processos e a adequação à demanda dos clientes devem ser alvos permanentes. O mercado não é estático, por isso é muito importante estar atento aos fatores externos capazes de afetar a cadeia de valor do negócio.
  • Decisão baseada em fatos – As resoluções precisas e eficazes são fruto de mapeamento de erros e acertos. A mensuração de indicadores permite uma leitura mais clara da realidade, ações mais apropriadas, menos retrabalho e, portanto, redução de despesas operacionais.
  • Bom relacionamento – A boa relação entre todos os parceiros de um empreendimento favorece a fortificação da marca e o aumento de receita.

Mapeamento de processos na Apsis

Na Apsis, a metodologia PDCA auxilia o mapeamento e a avaliação de nossos processos, mediante uma visão sistêmica das atividades. Com isso, os pontos críticos são identificados e submetidos às tratativas mais pertinentes.

O projeto de modelagem, reestruturação ou otimização de um processo ocorre, especialmente, na primeira etapa, planejamento. Internamente, para uma melhor organização e um desenvolvimento mais acertado dos programas de melhoria, dividimos esse estágio em quatro passos, a saber:

  • Identificação do problema;
  • Análise do fenômeno;
  • Análise do processo;
  • Plano de ação.

 

Na quarta e última fase listada, definimos as ações a serem realizadas, o cronograma de execução, o responsável, bem como as áreas e os colaboradores que participarão dos outros segmentos do ciclo PDCA. A partir desse delineamento, conseguimos envolver e direcionar melhor nosso time para propostas de aperfeiçoamento interno.

Salientamos que, durante o planejamento, utilizamos diferentes ferramentas de gestão de qualidade para identificação e priorização de problemas, como matriz de análise de risco, mapa de causa e efeito, fluxogramas e matriz de responsabilidade. As opções são muitas, pois existem diversos instrumentos de suporte para detecção de falhas, elaboração/implementação de solução e apuração de resultados. Entre eles, destacamos os sete mais comumente usados:

  • Histograma;
  • Diagrama de Pareto;
  • Diagrama de Ishikawa;
  • Carta de controle;
  • Fluxograma de processos;
  • Diagrama de dispersão;
  • Folha de verificação.

A escolha irá depender dos principais gargalos observados e da estrutura eleita para a modelagem do processo em questão. Portanto, em cada projeto de PDCA, ponderamos os melhores recursos para a criação de um bom plano de melhoria.

Qualidade e a geração de valor

As ferramentas apresentadas suscitam inúmeros benefícios, tais como melhor performance profissional, satisfação dos clientes, efetividade dos produtos e serviços, aumento da produtividade, incremento financeiro e desenvolvimento da comunicação corporativa. Como os modelos seguem padrões internacionalmente reconhecidos, priorizam as melhores práticas do mercado.

Com efeito, o sistema de gestão da qualidade gera consistência, potencial de resiliência e vantagens competitivas a uma empresa. Dessa forma, a companhia cresce em valor. Seu reconhecimento e sua posição no segmento em que atua são consequências do cuidado empenhado para satisfazer seus parceiros internos e externos.

O renome e o status de uma marca dependem do esforço constante de todos os colaboradores em prol do aprimoramento de suas respectivas áreas. E a dedicação deve ser frequente, pois uma organização forte, qualificada e valiosa implica capacidade de ajustamento às exigências de cada conjuntura.

Em um cenário economicamente desafiador como o de agora, em plena pandemia da Covid-19, é preponderante que os gestores agucem a visão panorâmica e invistam em procedimentos analíticos. Somente a partir de uma avaliação criteriosa, calcada em regulamentos e preceitos abalizados, é viável a adoção de medidas inteligentes e profícuas diante dos riscos e empecilhos do momento.

Cabe ressaltar, entretanto, que não basta estar atento aos índices quantitativos. Cada vez mais, é extremamente relevante ter em conta as dimensões social e ambiental do negócio. O compromisso com hábitos sustentáveis deve sempre permear as ações escolhidas, posto que, como já mencionado, o êxito é arquitetado em todas as instâncias organizacionais.

Por sermos uma consultoria especializada em geração de valor, essa percepção nos é intrínseca. A qualidade está presente no DNA da Apsis. Logo, utilizamos diariamente diversas técnicas, com base nas metodologias e diretrizes consagradas, para garantir uma melhor entrega ao nosso maior ativo: o cliente.

 

Equipe Apsis | Fabiana Barrozo
+ posts

Compartilhar este post

Comentário (1)

  • TATA Responder

    Excelente TIMEEEEEEEEEEEEE

    16/04/2021 às 21:19

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *