5àSec amplia operações na América do Sul

Na última sexta-feira, enquanto conversava ao telefone com o comando da rede de franquia de lavanderias 5àSec, com sede em Paris, na França, o empresário Nelcindo Nascimento acabou tratando de um assunto acompanhado, passo a passo, pela matriz. Nascimento, presidente das operações da rede no Brasil, comentou detalhes a respeito do projeto de expansão da companhia na América do Sul.

Após um ano e meio de análises de mercado, a 5àSec decidiu abrir unidades em outros seis países da região, e a estratégia de crescimento será coordenada pelo comando no Brasil.

O plano inicial é abrir 45 pontos nos próximos cinco anos nos países escolhidos – Bolívia, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai. Apenas na Colômbia, a previsão é de abertura de 20 pontos. No Peru, serão de 12 a 15 lojas e o restante, nos outros países. A Argentina, com 140 unidades, é o segundo maior mercado da companhia na região – perde para o Brasil com 300 pontos. O Chile possui 70 unidades.

"Planejamos abrir os primeiros pontos nesses países no início de 2011. No segundo semestre vamos começar a conversar com investidores interessados", afirma Nascimento, masterfranqueado da 5àSec no Brasil, responsável por trazer a marca ao país em 1994. O investimento inicial por loja no país varia de R$ 300 mil a R$ 450 mil.

Paralelo a esse projeto, Nascimento ainda confessa a sua outra ambição. Ele pretende tornar a operação brasileira a maior do mundo em faturamento em 2010, entre os 22 países onde a companhia opera. Esse assunto tem vindo à tona nas reuniões mensais que Nascimento participa com o comando, em Paris. "Vamos dizer que eles manifestam certa inquietação quando falamos disso", brinca. "Acho que não gostam muito [de perder a liderança]", sorri, discretamente.

Em 2009, a operação local perdeu para a matriz por uma diferença de cerca de € 15 milhões. "As vendas em alta e o câmbio favorável devem engordar os resultados deste ano".

Com R$ 146 milhões de faturamento no Brasil em 2009, a rede deve crescer 28% no país neste ano (a alta foi de 22% em 2009), frente a uma taxa de 2% a 3% prevista para os negócios na França.

A razão do sucesso, em parte, vem do modelo de gestão adotado pela 5àSec. "A cultura empreendedora do brasileiro é muito forte. As operações locais têm buscado regionalizar a gestão do negócio", afirma Patrícia Barreto Gavronski, consultora da Machado Advogados e Consultores. Na rede, os franqueados com mais de uma loja têm de criar um plano de negócios próprio, que ajuda a definir metas a curto e a longo prazos. Também há um Conselho de Franqueados, espécie de Conselho de Administração, com seis franqueados que ajudam a definir planos estratégicos para a empresa.

Somado a isso, a 5àSec no Brasil tem uma operação em formato de unidades de negócios. Há um "braço" da empresa que só cuida da importação e suprimento das lojas, e outro que administra a área industrial (atendimento a hotéis e restaurantes), por exemplo. "Separamos tudo para conseguir cuidar melhor das áreas. Nosso modelo no Brasil já está sendo copiado pelas operações na Europa", diz Nascimento.

(Adriana Mattos | Valor)
 

 

 

 

+ posts

Compartilhar este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *