AmEx quer ter negócio de pagamentos on-line

Enquanto se prepara para avançar pelo negócio de pagamentos on-line, a bandeira de cartões American Express (AmEx) vai proporcionar ofertas e descontos personalizados para os consumidores que permitirem à empresa explorar a sua rede de relações no Facebook. "Estamos rodando algoritmos que proporcionarão ofertas relevantes com base em suas preferências e amigos", disse Edward Gilligan, vice-presidente do conselho de administração.

Por meio do novo aplicativo "Link, Like, Love" na página da American Express no Facebook, os clientes poderão conectar suas contas no cartão às suas próprias páginas. O uso pelos detentores de cartões e seus círculos de amigos on-line – que o Facebook chama de "gráfico social" – será empregado para personalizar negócios com comerciantes, ofertas de entretenimento e outros benefícios.

A AmEx, comandada por Kennetth I. Chenault ampliou o uso das redes sociais e contratou executivos com experiência em tecnologia, numa preparação para competir por pagamentos on-line e móveis com rivais como a Visa e o serviço PayPal do Ebay.

No ano passado, a companhia contratou Daniel Schulman, um ex-executivo da Sprint Nextel Corp., para comandar o grupo de desenvolvimento da iniciativa. O acréscimo dos negócios da AmEx ao Facebook poderá ajudar a rede social a tirar proveito do mercado diário de cupons on-line, que vem crescendo rapidamente e ganhou popularidade com sites como Groupon e LivingSocial.

Em novembro, o Facebook anunciou uma função que permite a comerciantes como a Gap e o McDonald”s oferecer descontos aos clientes. Neste ano o concorrente Google começou a oferecer um serviço parecido.

Ao contrário de outros programas de descontos, os clientes não terão que usar um código ou um cupom para colher os benefícios, afirma Gilligan. Todos os descontos das compras on-line e nas lojas serão aplicados na forma de um crédito na fatura.

A American Express não está cobrando dos comerciantes pelo serviço, ou reempacotando informações pessoais para venda a terceiros, assegurou o executivo. O programa permite à instituição financeira e aos varejistas acompanhar o progresso de certas campanhas de marketing.

Os lojistas saberão quantos clientes novos conseguiram e a porcentagem das vendas geradas em decorrência de campanhas específicas, disse Luke Gebb, vice-presidente de capacitação global de redes da AmEx. "Você também poderá analisar uma campanha e afirmar se ganhou ou não clientes leais", afirmou Gebb.

A American Express informou crescimento de 27% no lucro do segundo trimestre, em função dos gastos recordes com cartão de crédito. A renda líquida somou US$ 1,3 bilhão em comparação ao US$ 1,02 bilhão do mesmo período do ano passado.

(Dawn Kopecki | Bloomberg)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *