Após 7 anos, ERB tira do papel usina de cogeração

Energias Renováveis do Brasil (ERB) vai inaugurar nos próximos dias sua fábrica de cogeração de energia de bagaço de cana na usina de açúcar e álcool Santa Vitória, que pertence aos grupos Dow Chemical e Mitsui.

O projeto Santa Vitória ficou conhecido em 2007, quando a extinta usina Santa Elisa, de Sertãozinho (SP), que pertencia à família Biagi, tradicionais usineiros da região de Ribeirão Preto, anunciou um aporte bilionário para a construção dessa usina em Minas. O negócio não vingou e a Santa Elisa foi incorporada ao grupo francês Louis Dreyfus.

À época, o projeto Santa Vitória foi vendido à americana Dow Chemical e à japonesa Mitsui. Em 2013, as companhias venderam o projeto para a ERB, que começou a se especializar em unidades de cogeração, utilizando bagaço de cana e eucalipto, instaladas em grandes companhias que precisam de energia.

A unidade de Santa Vitória recebeu um aporte de R$ 240 milhões e vai usar bagaço de cana para gerar até 41 megawatt (MW) de energia, afirmou Danilo Nakano, diretor de operações e novos negócios da ERB, que tem entre os sócios a holding MDCPar, o Fundo Caixa Ambiental (administrado pela Mantiq Investimentos, do Grupo Santander), a BNDESPar e a Rioforte, da família Espírito Santo. “Temos outros oito projetos em desenvolvimento em outras regiões”, disse Nakano. Segundo ele, esses oito projetos somam aportes de R$ 3 bilhões.

(Istoé Dinheiro)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *