APSIS E ANEFAC juntos na 92ª conferência internacional do IMA

Os sócios-diretores da Apsis Ana Cristina França e Luiz Paulo Silveira fizeram parte, como diretores da ANEFAC, da comitiva que representou o Brasil no congresso em referência. A presença do Brasil foi bastante relevante, dado o momento internacional de convergência de padrões contábeis que estamos vivendo, conforme colocado pelo diretor Luiz Paulo no relato abaixo:

O IMA (Institute of Management Accountants), uma associação internacional de contadores e profissionais de finanças nos negócios, é uma tradicional instituição dos Estados Unidos no ramo da contabilidade, com mais de 92 anos de história, congregando algo em torno de 60 mil associados nos dias de hoje. Com uma atuação forte no mundo acadêmico, através de programas de parcerias com universidades para o desenvolvimento de novas abordagens relacionadas à contabilidade financeira e de custos, é responsável pela divulgação de novas metodologias e melhores práticas neste segmento, envolvendo temas que vão desde a Tecnologia de Informação até aspectos estratégicos e de Governança Corporativa. Estes debates e a divulgação de novas abordagens e melhores práticas são realizados de forma excelente através das várias publicações especializadas (Strategic Finance Magazine e Management Accounting Quarterly, por exemplo) e também pelas conferências promovidas para os diversos públicos-alvo (associados, estudantes, etc.).

A instituição possui também um certificado de capacidade técnica para os profissionais do setor, o CMA (Certified Management Accountant), reconhecido internacionalmente.

Na conferência deste ano, havia 450 participantes atendendo ao programa profissional, incluindo os cinco integrantes da comitiva brasileira. Nós, brasileiros, tivemos a oportunidade de presenciar mais uma vez a importância conferida pelos americanos ao alinhamento das melhores práticas com normas e metodologias documentadas, através de todos os mecanismos de debate e divulgação, como a conferência que presenciamos, e também dos diversos mecanismos e premiações envolvendo profissionais, estudantes e universidades.

SEGUINDO O EXEMPLO DO IMA

O IMA é um exemplo de sucesso no sentido de promover de forma eficaz a integração das melhores técnicas com as melhores práticas. Apenas com sistemas que juntam o meio acadêmico com o meio profissional conseguimos isso. A implantação do IFRS nas empresas brasileiras ainda está em fase de validação pelo mercado, e o fator crítico de sucesso está relacionado justamente com uma integração deste tipo. O IFRS introduz dois novos conceitos relevantes: o de valor justo e o de classes de ativos intangíveis. São conceitos complexos, há muito tempo pesquisados no meio acadêmico americano e utilizados pelo mercado de lá, mas novidades aqui. Daí a iniciativa da ANEFAC-RIO e de sua Diretoria Executiva na criação do Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios (CBAN), lançando as bases para o encontro das melhores técnicas com as melhores práticas de avaliação de negócios e intangíveis, promovendo a discussão de todas as partes envolvidas e criando mecanismos de feedback para a eficácia do sistema.

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *