Arezzo negocia compra da Santa Lolla

A Arezzo está em negociações para comprar a Santa Lolla, varejista de calçados e acessórios femininos voltada para o público jovem, segundo o Valor apurou.

Se concretizada, trata-se da primeira aquisição da Arezzo, que captou R$ 566 milhões em sua oferta inicial de ações realizada em fevereiro. Desse valor, R$ 196 milhões foram para o caixa da empresa, que hoje soma R$ 182 milhões.

Fundada há apenas seis anos, a Santa Lolla conta com 105 lojas franqueadas distribuídas em diversas regiões do país e uma unidade localizada na Flórida, nos Estados Unidos.

Cada loja da Santa Lolla tem faturamento médio mensal de R$ 120 mil, segundo fonte do mercado. A rede de franquias da grife teria, então, receita anual em torno de R$ 150 milhões. A Santa Lolla receberia com os royalties (equivalente a 18% sobre as vendas efetuadas pelos lojistas) uma receita de cerca de R$ 12 milhões por ano.

A negociação entre Arezzo e Santa Lolla, segundo uma fonte próxima da operação, poderia girar em torno de R$ 150 milhões. Mas consultores e fabricantes de calçados ouvidos pelo Valor consideraram essa quantia alta. A negociação, iniciada há cerca de seis meses, estaria emperrada basicamente por causa do valor pedido pela Santa Lolla.

Procurada pelo Valor, a Arezzo não retornou a ligação. A Santa Lolla informou que não existe negociação.

A Santa Lolla foi criada pelos irmãos Vanessa, Fábio e Rubens Martinez – família paulista com tradição no segmento de calçados. Integrantes da família também são donos da varejista de calçados Martinez, criada em 1962 e que tem seis lojas, principalmente, na região da avenida Paulista, em São Paulo. A Martinez vende calçados mais clássicos e de preço menor. A Santa Lolla tem sapatos de design moderno e preço médio de R$ 200.

A aquisição da Santa Lolla seria para complementar o portfólio da Arezzo, que também é dona das marcas Schutz (público premium), Ana Capri (popular) e Alexandre Birman (altíssimo padrão).

Fundada em 1972 pelos irmãos Anderson e Jefferson Birman, a Arezzo encerrou o primeiro trimestre com 296 lojas, sendo que 267 unidades são próprias. No ano passado, a Arezzo produziu 6,4 milhões de pares de calçados e 412 mil bolsas.

A negociação entre Arezzo e Santa Lolla não é a única do mercado de calçados em andamento. A gaúcha Paquetá está em conversações com a Via Uno, de Novo Hamburgo (RS). O ponto em comum entre a Santa Lolla e a Via Uno é que ambas têm lojas franqueadas e são voltadas para o público jovem. Mas ao contrário da grife paulista, a Via Uno tem unidades industriais. (Com Sérgio Ruck Bueno, de Porto Alegre).

(Beth koike l Valor)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *