BB prevê que em 5 anos 9% do seu lucro virá de operações no exterior

O vice-presidente de Negócios Internacionais Atacado e Private Banking do Banco do Brasil, Allan Simões Toledo, afirmou nesta segunda-feira (25) que a estratégia de internacionalização da instituição prevê que as operações das filiais estrangeiras representem em cinco anos 9% do lucro do banco.

“Queremos chegar nos próximos 5 anos com 9% do resultado do banco vindo da rede externa”, disse. Hoje, essa fatia é inferior a 1%, afirmou o executivo.

O Banco não revelou o orçamento destinado a aquisições e expansões no exterior. Segundo Toledo, após a aquisição do EuroBank nos Estados Unidos, o BB vai concentrar suas buscas na América do Sul, em países como Chile, Equador, Colômbia e Peru. A instituição anunciou nesta seginda-feira que adquiriu 100% do capital social do banco norte-americano EuroBank, pelo valor de US$ 6 milhões,e que pretende investir US$ 25 milhões nos próximos três anos na sua expansão nos EUA.

Na África, o banco tem buscado oportunidades junto com o Bradesco e o Banco Espírito Santo, em países como Angola, Cabo Verde e Moçambique. Segundo Toledo, as maiores margens de lucro bancário são registradas hoje na África, com “retornos da ordem de 40%”

Na Ásia, o BB vai transformar em agência bancária um escritório instalado em Xangai e também montará uma corretora em Cingapura. Já na Europa, o banco brasileiro conduz um processo para concentrar o comando de suas operações no continente – com exceção de Londres – sob a filial de Viena, na Áustria.

O BB está presente hoje em 23 países, com 13 agências, 8 subagências, 11 escritórios de representação, entre outras unidades. O Japão é o país com o maior número de agências, sete, que atendem um total de 125 mil clientes. Toledo explicou que o BB não precisa fazer concurso público para contratar funcionários para operar no exterior.

O principal foco do banco no exterior é o atendimento às comunidades brasileiras e às empresas nacionais que atuam fora do Brasil.

"Os nossos investimentos no exterior são percentualmente pequenos em relação aos investimentos no Brasil. Mas é um momento muito oportuno de ampliarmos nossa atuação", disse Toledo, destacando a depreciação de ativos bancários no país, a valorização do real em relação ao dólar e a possibilidade de captação em moeda local.

Ações do Banco Patagônia
O Banco do Brasil espera receber até a próxima semana a autorização para a oferta pública de aquisição das ações remanescentes do banco argentino Patagônia, adquirido em abril de 2010. Segundo Toledo, a operação poderá elevar a participação do BB no Patagônia de 51% para 75%.

O Patagônia possui 164 agências na Argentina e é o 9º maior banco no país.

O BB informou também que vai inaugurar neste semestre em Buenos Aires e em Nova York o que chama de "agência conceito" para atender clientes brasileiros em viagens de turismo e de negócios.

(Darlan Alvarenga l G1)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *