BR Malls planeja investir até R$ 750 milhões em aquisições até 2013

São Paulo – Conhecida pelo seu apetite para aquisições, a BR Malls não pretende desacelerar o passo nos próximos anos. A empresa planeja investir até 750 milhões de reais em aquisições até 2013 – uma média de 250 milhões de reais por ano. A informação é do presidente da administradora de shopping centers, Carlos Medeiros, que participou de um encontro com analistas e investidores nesta quarta-feira (15/12).

Segundo Marina Fontoura, diretora de Fusões e Aquisições do grupo, a BR Malls analisa, atualmente, 75 possíveis alvos para compra. No total, esses estabelecimentos representam 2,1 milhões de metros quadrados de área bruta locável (ABL). Para se ter uma idéia do que isso representa, basta lembrar que, hoje, a empresa detém participações em 38 shopping centers que totalizam um ABL de 1,132 milhão de metros quadrados. Desse total, a área própria da BR Malls corresponde a 533.366 metros quadrados.

A empresa também não descartou aquisições de maior porte, como a recente negociação do Shopping Tijuca, fechada por 800 milhões de reais. De acordo com os executivos da BR Malls, qualquer acordo de maior vulto vai elevar automaticamente o montante planejado para aquisições.

Apesar de ser um plano milionário de aquisições, o montante total de 750 milhões de reais é inferior aos 1,3 bilhão de reais que a empresa deve desembolsar apenas em 2010. Essa cifra só é menor do que os 1,6 bilhão de reais investidos em 2007, ano em que a empresa abriu seu capital e realizou duas emissões de ações. No IPO, em abril, levantou 657,118 milhões de reais. Em outubro do mesmo ano, a BR Malls voltou ao mercado em uma nova emissão primária de 664,450 milhões.

De acordo com relatório da Raymond James, assinado pelos analistas Guilherme Assis e Daniela Bretthauer, a estratégia de aquisições da BR Malls também está mudando. Antes, a empresa priorizava a compra de participações minoritárias nos empreendimentos, mas percebeu que assumir o controle e, portanto, ditar os rumos da administração faz uma grande diferença no resultado final dos centros de compra.

Foco no controle

Por isso, agora a BR Malls busca, cada vez mais, a aquisição de fatias expressivas dos shopping centers. A empresa informou, inclusive, que pequenas aquisições – aquelas inferiores a 15.000 metros quadrados de área bruta locável – não estão no seu radar atualmente.

Se cumprido, o plano de aquisições vai impulsionar a geração de caixa da companhia. A BR Malls informou que espera alcançar um ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de 1 bilhão de reais em 2013. Nos nove primeiros meses deste ano, o indicador acumulou 289,205 milhões de reais – 33% maior que o do mesmo período de 2009. A margem de ebitda também cresceu de 79,9% para 81,2% na mesma comparação.

De acordo com o presidente da empresa, Carlos Medeiros, a geração de caixa será estimulada pelas aquisições e pelo crescimento orgânico. O executivo descartou a necessidade de captar recursos no mercado para cumprir a meta de ebtida.Além de melhorar a gestão dos atuais shoppings, o crescimento orgânico também contempla a abertura de dois a três estabelecimentos por ano.

A BR Malls é a maior empresa do setor em valor de mercado. Nesta quarta-feira (15/12), seu valor em bolsa era de 6,394 bilhões de reais. A Multiplan, sua principal concorrente, era avaliada em 6,271 bilhões.

(Márcio Juliboni | Portal Exame)

 

 

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *