Brasil Ecodiesel incorpora Maeda por R$ 320 milhões

SÃO PAULO – A Brasil Ecodiesel anunciou hoje um acordo com a Maeda Agroindustrial. A operação será realizada por meio de uma troca de ações, com a incorporação da Maeda pela Ecodiesel. Após a operação, os acionistas da Maeda terão o equivalente a 33% do capital da Ecodiesel.

Os acionistas da Maeda receberão uma nova ação da Ecodiesel para cada 3,6395 ações ordinárias da companhia. Para concretizar a operação, a Ecodiesel fará um aumento de capital de R$ 320 milhões, com a emissão de 358,941 milhões de ações ordinárias.

O preço aproximado da emissão é de R$ 0,89 por ação, o que corresponde a um desconto de 19,8% em relação ao preço de fechamento do papel no mercado nesta terça-feira, de R$ 1,11.

Segundo a Ecodiesel, a relação de troca foi estabelecida com base na perspectiva de rentabilidade futura da Maeda, conforme laudo de avaliação da empresa segundo o critério de fluxo de caixa descontado elaborado pelo Credit Suisse; e também pelo preço médio ponderado das cotações das ações da Ecodiesel nos 60 pregões anteriores a 30 de setembro, data em que as negociações entre as duas companhias tiveram início.

A transação ainda terá de ser submetida à aprovação dos acionistas da Ecodiesel. A assembleia foi marcada para o dia 23 de dezembro.

Este é o segundo negócio envolvendo a Maeda neste ano. O controle da companhia passou, em maio, das mãos da tradicional família de japoneses para o fundo espanhol Arion Capital, controlado pelo bilionário espanhol Enrique Bañuelos. O grupo é um dos maiores produtores de algodão e de grãos do Brasil. O Arion assumiu 86% da companhia por cerca de R$ 100 milhões, além de assumir a dívida.

O Valor apurou na época que o objetivo da gestora Arion Capital e de Bañuelos era tornar a Maeda um veículo de consolidação no setor de agronegócio, a exemplo do que o investidor espanhol fez no setor imobiliário – quando se uniu à Agra para comprar Abyara e Klabin Segall e formar a Agre, recentemente comprada pela PDG Realty.

As especulações sobre um possível acordo entre Maeda e Ecodiesel rondavam o mercado desde meados de outubro, a ponto de a companhia ser questionada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). No dia 25 de outubro, a Ecodiesel confirmou que estava em negociações, mas que ainda não havia acordo fechado.

(Téo Takar | Valor)

 

 

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *