Caixa negocia compra de participação na empresa de cartões argentina Cabal

Brasília – A Caixa Econômica Federal negocia a compra de parte da empresa de cartões de crédito argentina Cabal, a terceira maior daquele mercado.Segundo fontes envolvidas na negociação, o plano da Caixa é ampliar as atividades da subsidiária Cabal Brasil que mantém operação discreta desde 2000 e, assim, atingir clientes de menor renda, especialmente das classes C e D.

Na visão da Caixa, será possível ampliar o alcance desse meio de pagamento nessas faixas de renda ao mesmo tempo em que podem ser reduzidos os custos para o comércio interessado em receber o dinheiro de plástico.

As conversas acontecem há alguns meses, mas há expectativa de que a negociação pode ganhar velocidade, já que a presidente da Caixa, Maria Fernanda Coelho, está desde ontem em Buenos Aires para tratar do assunto.

Na mesa, além da Caixa, estão a própria Cabal e o banco Credicoop, instituição financeira que lidera a emissão dos cartões com essa marca na Argentina. No fim de junho, a presidente do banco disse ao Estado que já negociava a aquisição de parte de uma empresa e que o negócio poderia ser anunciado até o fim do ano.

Marca. Na Argentina, a rede de estabelecimentos credenciados pela Cabal é extensa e a marca, reconhecida pelos consumidores. É a terceira maior bandeira em operação no mercado, atrás apenas da Visa e Mastercard. Além da Argentina, a Cabal mantém operações com emissores locais no Paraguai, Uruguai e Cuba. Nos três vizinhos do Mercosul, a companhia tem cerca de 3 milhões de cartões emitidos.

No Brasil, a companhia é uma sociedade entre a Cabal Argentina e o Banco Cooperativo do Brasil (Bancoob). Atualmente, tem cerca de 500 mil cartões emitidos nas funções crédito e débito em conta corrente e nas modalidades alimentação e refeição. O universo ainda é tímido, se comparado ao tamanho da indústria, que tem atualmente 586,6 milhões de cartões emitidos nas funções crédito, débito e de loja.

Antes do fim da exclusividade das máquinas de leitura dos cartões, a atuação da Cabal era mais forte nos Estado de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais. Agora, com o compartilhamento, a marca passou a ser aceita na Redecard. Ao ingressar no segmento de cartões como emissora, a Caixa quer atingir o pequeno comércio, periferias e as cidades distantes do interior do País.

Procurados, o Bancoob, sócio da Cabal no Brasil, e a Cabal Brasil disseram que não têm informações sobre a negociação e que, por isso, não podem falar sobre o assunto. A Caixa não retornou os pedidos de informação até o fechamento desta edição.

(Fernando Nakagawa | O Estado de São Paulo)

 

 

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *