Casino compra mais 6% em ações do Pão de Açúcar na bolsa

Sócio francês já gastou R$ 1,6 bilhão com aquisição de ações do Pão de Açúcar e aumenta pressão sobre Abilio Diniz.

O Casino comunicou na noite de quarta-feira que comprou mais 6,2% do capital o Grupo Pão de Açúcar nos últimos dias na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), depois de já ter adquirido 3,7% das ações preferenciais da companhia brasileira recentemente.

Em duas semanas, o grupo francês já investiu US$ 1 bilhão (R$ 1,58 bilhão ) na aquisição de ações preferenciais da varejista brasileira, com a compra de 10% do capital da empresa.

Com essas aquisições, o Casino passa a deter 43% do total de ações do Pão de Açúcar e torna-se o maior acionista da companhia, com o dobro de ações do segundo colocado, informou o grupo francês.

Nesta quarta-feira, já havia especulações no mercado de que o Casino estaria comprando um grande número de ações do Pão de Açúcar, o que fez com que o volume de negócios com os papéis atingisse o maior patamar da história desde a abertura de capital, em 1995.

No entanto, as ações reverteram repentinamente à tarde a trajetória de alta e os papéis, que vinham sendo negociados com uma valorização de 12%, terminaram o dia em baixa de 3%.

O Pão de Açúcar negou que tivesse alertado seus controladores, por meio de seu departamento jurídico, sobre um possível risco de uso de informação privilegiada. Esses rumores chegaram a circular no mercado, após a "virada" das ações. O Pão de Açúcar afirmou que seus acionistas são livres para comprar ações.

Litígio

O aumento na participação acionária no Grupo Pão de Açúcar é um claro recado do Casino a Abilio Diniz, sócio brasileiro na companhia e com quem o Casino está em litígio. O Casino acusa Diniz de ter mantido conversações “secretas” com o Carrefour, seu concorrente.

O Casino mostrou que é comprador das ações e que seu investimento no Brasil é de longo prazo, afirmou uma fonte. Sair do capital do Pão de Açúcar é uma alternativa que não passa pela cabeça do grupo.

O Pão de Açúcar tornou público, na terça-feira, um plano para a fusão das operações do Pão de Açúcar com o Carrefour, mas, até então, o Casino tem se recusado a receber Diniz para ouvir a proposta. O Casino solicitou na terça-feira uma reunião do conselho da Wilkies, holding que controla o Pão de Açúcar, e que terá de ser convocada por Abilio Diniz, presidente do conselho.

O Casino já pagou a Diniz, em 2006, um prêmio pelo controle do Grupo Pão de Açúcar, mas só exercerá esse direito em 2012, quando poderá comprar uma ação a mais de Diniz e assumir uma posição majoritária na Wilkes. O Casino também poderá assumir a presidência do conselho do Grupo Pão de Açúcar, cargo que sempre foi ocupado por Diniz.

O Casino já abriu um processo contra Diniz em um tribunal arbitral, em São Paulo, por considerar que o empresário feriu o acordo de acionista firmado entre eles.

(Claudia Facchini e Aline Cury Zampieri l iG)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *