Clariant e Veolia fazem aliança no país

SÃO PAULO – As multinacionais Clariant e Veolia uniram forças no Brasil para garantir a liderança no mercado de tratamento e reúso de água em plantas industriais e vão oferecer uma solução completa para essa finalidade. O pacote que começa a ser entregue apenas no país reúne especialidades químicas, principal negócio da companhia suíça, e sistemas e tecnologias desenvolvidos pela segunda empresa, de origem francesa e uma das maiores fornecedoras mundiais para recuperação de efluentes líquidos.

A aliança estratégica, conforme definição de executivos das duas companhias, poderá, no futuro, ser estendida a outros mercados. "O acordo começa no Brasil. Então olharemos a América Latina e, depois, globalmente", afirma o vice-presidente da unidade de negócios Oil & Mining Services para América Latina da Clariant, Carlos Tooge.

Entre as maiores do mundo em seus segmentos de atuação, Clariant e Veolia combinaram seus portfólios em uma solução inédita para tratamento e reúso de água nas grandes indústrias. A novidade fica justamente por conta da entrega, em um único pacote, de insumos, projetos e equipamentos que clientes têm de contratar separadamente, com diferentes fornecedores. "As duas empresas dispõem de portfólios complementares. Com a aliança, teremos acesso mais efetivo a esse mercado", afirma o diretor de Soluções da Veolia, Francisco Faus. "Não existe um concorrente direto se considerarmos a solução que passa a ser oferecida", acrescenta o gerente de Refinaria e Tratamento de Água para a América Latina da Clariant, Eduardo Castilho.

Segundo dados das empresas, o mercado latino-americano de químicos para tratamento de água movimenta US$ 500 milhões por ano, enquanto os negócios de equipamentos e projetos, somente no Brasil, estão estimados em cerca de US$ 1 bilhão anualmente. Na Clariant, a expectativa é de que o faturamento da área dobre em um ano, a partir da oferta da solução completa. No ano passado, a companhia faturou mundialmente pouco mais de 7 bilhões de francos suíços, 17% dos quais provenientes dos negócios na América Latina. A Veolia registrou receitas globais de 35 bilhões de euros.

Petróleo, mineração, açúcar e álcool estão entre os setores que oferecem maior potencial de negócios no curto prazo e já há tratativas com empresas dessas áreas.

(Stella Fontes | Valor)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *