Construtoras brasileiras têm 7 dos 10 maiores lucros das Américas em 2010

Entre as dez construtoras de edifícios residenciais de capital aberto mais lucrativas em 2010 da América Latina e Estados Unidos, sete são brasileiras, segundo levantamento divulgado nesta quarta-feira (6) pela consultoria Economatica.

A brasileira PDG Realt está em primeiro lugar no ranking, com lucro de US$ 473,9 milhões no ano de 2010. A MRV é outro destaque, no terceiro lugar, com US$ 380,8 milhões. Há ainda duas empresas dos Estados Unidos e uma do México na lista.

No quesito vendas, a empresa com maior volume foi a Pulte Homes, dos EUA, com US$ 4,4 bilhões. A primeira brasileira da lista, nesse caso, é a PDG Realt, na terceira posição, com US$ 3,1 bilhões. A Cyrela Realty ocupa a quinta colocação, com US$ 2,9 bilhões.

Em relação à receita, entre as dez primeiras em 2010, há cinco empresas do Brasil, quatro norte-americanas, e uma do México.

A consultoria também fez um ranking levando em conta a margem liquida das empresas, considerando aquelas com patrimônio liquido superior a US$ 1 bilhão. Nesse caso, a MRV, com margem de 21% em 2010, é a empresa mais bem posicionada do setor. A segunda colocada é a PDG Realt com 15%.

Entre as dez empresas com melhor margem liquida da América Latina e dos Estados Unidos, há seis empresas brasileiras, três dos EUA e uma do México, afirma a Economatica.

Valor de mercado

A empresa dos EUA Walter Ind tem o maior valor de mercado do setor, com US$ 7,5 bilhões. A segunda colocada é a brasileiras PDG Realt, com US$ 6,7 milhões.

Entre as dez maiores empresas por valor de mercado encontramos quatro empresas brasileiras e seis dos EUA.

Variação das ações em 2011

A ação com melhor desempenho no ano de 2011 até terça-feira (5) é a ação ordinária da brasileira JHSF Part (JHSF3), com 23,7% de valorização. Entre as dez ações mais valorizadas em 2011, há cinco ações brasileiras, quatro dos EUA e uma do Chile.

Entre as dez ações mais desvalorizadas, há quatro ações de empresas brasileiras, quatro dos EUA e duas do México. Para o ranking de rentabilidade, a Economatica afirma que foram consideradas somente ações com presença em 100% dos pregoes no ano de 2011 até o dia 5 de abril.

(G1)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *