CSN eleva participação na produtora de carvão Riversdale

A Companhia Siderúrgica Nacional aumentou sua participação na mineradora australiana Riversdale, que é alvo de uma oferta de aquisição de 3,9 bilhões de dólares feita pela Rio Tinto.
A CSN, segunda maior acionista da Riversdale, aumentou sua participação de 16,29 para 17,58 por cento, segundo comunicado enviado à bolsa da Austrália, nesta quarta-feira.

A maior acionista da Riversdale é a indiana Tata Steel, que detém 24,2 por cento da mineradora.

Investidores e fontes próximas da operação afirmam que a CSN deverá tentar se igualar à Tata e fortalecer seu poder de barganha no momento em que negocia com a Rio Tinto sobre a garantia de oferta de carvão siderúrgico.

"Eles pode estar buscando ter alguma influência sobre o resultado da oferta da Rio Tinto", disse Clive Donner, diretor da LinQ Management, que é a terceira maior gestora de fundos acionista da Riversdale.

Donner evitou dizer se a LinQ vai aceitar a oferta da Rio Tinto, mas citou que a mineradora "é uma excelente gestora de ativos dessa escala".

"A Riversdale está em uma parte do mundo que precisa de administração de alta qualidade e capacidade de execução", afirmou.

Nem a CSN ou a Tata devem fazer contra-propostas pela Riversdale, mas têm mantido discussões com a Rio Tinto desde o anúncio da oferta, disse uma fonte próxima do assunto. As empresas ainda não fizeram compromisso público sobre aceitação ou não da oferta, que se encerra em 18 de fevereiro.

A CSN investiu cerca de 76,23 milhões de dólares australianos (77,37 milhões de dólares) em uma série de transações ocorridas entre 1o e 8 de fevereiro, afirma o comunicado da empresa.

O conselho da Riversdale, cuja atividade se concentra na África, apoiou a oferta da Rio Tinto e informou anteriormente que não tinha conhecimento sobre qualquer outra oferta pela empresa.
Um porta-voz da Rio Tinto, que divulga resultados na quinta-feira, não comentou o assunto.

Representante da Riverdale informou que a companhia não vai comentar o investimento da CSN, mas reiterou que a empresa não recebeu qualquer outra oferta de aquisição.

A CSN não pôde ser imediatamente contata para comentar o assunto.

(Michael Smith e Sonali Paul l Reuters)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *