Fiat anuncia hoje nova fábrica em PE

SÃO PAULO – A pouco mais de duas semanas do encerramento de seu mandato, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anuncia hoje a construção de uma montadora em Pernambuco, seu estado de origem. O investimento será feito pelo grupo Fiat, que terá no Nordeste a sua segunda unidade de produção de automóveis da marca italiana.

Lula estará hoje em Salgueiro, um município do sertão de Pernambuco, a 500 quilômetros de Recife. O presidente da República estará lá para vistoriar as obras da ferrovia Transnordestina. O evento é uma maneira de aproveitar a presença do presidente da República no Estado para o anúncio oficial do investimento da multinacional.

O presidente do grupo Fiat no Brasil, Cledorvino Belini, passou o dia de ontem em Pernambuco, para acertar detalhes finais do projeto com o governador Eduardo Campos PSB).

Diferentemente do que foi publicado pelo Valor na edição do dia 10, o projeto não envolve a produção de veículos Chrysler, a montadora americana que passou para o comando da Fiat em 2009. A fábrica pernambucana vai ajudar a ampliar a capacidade de produção dos modelos da própria marca italiana, que há quase quatro décadas vêm sendo produzidos somente na fábrica instalada em Betim (MG).

O grupo Fiat condicionou o investimento em Pernambuco a incentivos federais. Na sexta-feira, o Diário Oficial da União publicou o Decreto 7.389/2010, por meio do qual as empresas do setor automotivo instaladas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e que apuram IR pelo regime do lucro presumido podem utilizar até dezembro de 2020 os créditos de IPI acumulados para quitar outros tributos federais, como o PIS e a Cofins.

A Fiat segue, assim, uma estratégia semelhante à adotada pela Ford, que convenceu o governo federal a relançar benefícios fiscais para o Nordeste em troca de investimento em expansão da sua fábrica em Camaçari (BA).

A notícia de uma montadora em Pernambuco começou a atrair investimentos de fabricantes de autopeças para a região. A fabricante de baterias Moura vai investir R$ 500 milhões nos próximos anos para dobrar sua capacidade de produção. No período, serão erguidas novas fábricas, todas em Pernambuco, sendo uma já garantida para o Complexo Portuário de Suape, onde deverá ser erguida a nova fábrica da Fiat.

O processo de descentralização da indústria automotiva no Brasil começou em meados da década de 90, quando o governo de Fernando Henrique Cardoso criou o regime automotivo. O mecanismo garantia redução do Imposto de Importação em veículos, equipamentos e autopeças para os fabricantes de veículos e de autopeças que investissem em novas fábricas e que se comprometessem a exportar.

O programa acabou provocando também uma guerra fiscal entre os Estados. Dessa forma, Paraná e Rio Grande do Sul ganharam novas fábricas. Posteriormente, o governo criou o chamado regime automotivo especial para Norte, Nordeste e Centro-Oeste, levando montadoras também para a Bahia e Goiás. Hoje, o Brasil tem 25 fábricas de veículos, que, juntas, vão alcançar a produção de 3,640 milhões de unidades. Esse total equivale a exatamente o dobro do que foi produzido em 2003.

A Fiat é líder de vendas no mercado brasileiro. Mas a Volkswagen , com três fábricas, é a maior fabricante de veículos do país.

(Marli Olmos | Valor)

 

 

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *