Fiat investirá R$ 10 bilhões no Brasil até 2015

A Fiat Automóveis, líder em vendas no mercado brasileiro, vai investir entre R$ 6 bilhões a R$ 7 bilhões no país nos próximos cinco anos. O montante está inserido em um programa total de R$ 10 bilhões que serão aplicados por todo o grupo, que inclui também empresas de autopeças e máquinas agrícolas. A montadora de origem italiana era a única entre as principais empresas automobilísticas que ainda não havia anunciado novo programa de investimentos.

Já a Volkswagen, que tem um plano de R$ 6,2 bilhões para o período 2010-2014, anunciou o desenvolvimento de um carro pequeno, mais barato que o Gol, que será produzido no Brasil como parte desse programa. O novo carro da Volkswagen, segunda maior montadora em vendas no país, vai disputar mercado diretamente com o Uno, da Fiat, no segmento de entrada (os mais baratos, na faixa de R$ 20 mil a R$ 23 mil), responsável hoje por 7% do mercado total. "Esse segmento vai dobrar de tamanho nos próximos quatro a cinco anos e não podemos ficar de fora", disse o presidente da Volkswagen do Brasil, Thomas Schmall.

A intenção da empresa também é se preparar para a concorrência dos modelos chineses, coreanos e japoneses que serão produzidos em breve no país nas novas fábricas da Chery, Hyundai e Toyota, assim como com importados. No caso da Fiat, o aporte confirmado pelo diretor comercial da empresa, Lélio Ramos, é o maior que o grupo anunciou para um período quinquenal. O novo plano estabelece o dobro do gasto anual em relação ao anterior, que era de R$ 1 bilhão.

Ramos informou que o montante será aplicado principalmente em novos produtos e ampliação da capacidade produtiva, mas a montadora ainda não detalhou percentuais para cada item. A fábrica da Fiat em Betim (MG) opera praticamente no limite da capacidade, de cerca de 800 mil carros por ano. Há expectativas de uma nova fábrica, mas a empresa não confirma. "Poderemos também ampliar as áreas que atuam em três turnos", disse.

Segundo ele, a Fiat vai lançar 20 novos modelos, entre inéditos e reestilizações. O carro que a Volks desenvolve em parceria com a matriz alemã será um modelo global, que pode ser produzido em outros países. Schmall disse que acabou de voltar de um encontro na Alemanha com a direção do grupo, que está "muito satisfeito" com os resultados do Brasil.

(Monitor Mercantil)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *