Gerdau pode ter 2 novas usinas no País e 1 nos EUA

SÃO PAULO – A Gerdau informou nesta quinta-feira, 5, ao divulgar os resultados do primeiro trimestre, que estuda a construção de mais duas usinas no Brasil, uma na região Norte-Nordeste e outra no Centro-Oeste, além de uma terceira nos Estados Unidos. Estas três unidades não constam dos planos de investimentos já anunciados.

No Brasil, as usinas em questão devem ter capacidade entre 500 e 700 mil toneladas cada e estarão voltadas para atender à construção civil e à indústria. Os planos para uma nova usina nos Estados Unidos, com capacidade instalada entre 700 e 800 mil toneladas, buscam atender o segmento de aços especiais.

A siderúrgica avalia também a instalação de um novo laminador na região Sul do País, com capacidade de 600 mil toneladas. Hoje, o diretor-presidente da Gerdau, André Gerdau Johannpeter, anunciou também novos investimentos de R$ 718 milhões até 2013 no Estado de São Paulo, para atender à indústria automotiva e a construção civil. Os aportes irão para as unidades de Pindamonhangaba e Araçariguama.

Na fábrica de Araçariguama, haverá melhorias. Em Pindamonhangaba, a Gerdau terá nova fábrica de produtos prontos para uso e um novo laminador. A siderúrgica investirá também R$ 560 milhões nas unidades de aços especiais nos Estados Unidos para atender ao crescimento dos setores automotivo e industrial da América do Norte.

Preços

O vice-presidente executivo de Finanças, Controladoria & Relações com Investidores da Gerdau, Osvaldo Schirmer, disse que a companhia "não vê modificações no quadro geral de preços" do aço. "Os preços têm apresentado muita volatilidade no mercado internacional, é muito difícil fazer qualquer previsão. A tendência é para os preços continuarem estáveis lá fora", afirmou, o diretor-presidente da Gerdau, André Gerdau Johannpeter.

Reajustes ou novas retiradas de descontos no Brasil dependem de custos, segmentos e volumes, segundo o executivo. "No início do ano, retiramos alguns descontos, que foram escalonados nos meses seguintes", disse o diretor-presidente. Em meados de fevereiro, a Gerdau confirmou a redução de descontos praticados no mercado brasileiro para produtos de aços longos, variando conforme a região e os volumes demandados pelos clientes.

(Fabiana Holtz e Chiara Quintão l Agência Estado)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *