Kinea, braço de investimento do Itaú, põe R$ 200 mi no grupo Multi

RECIFE – A Kinea, braço de investimentos alternativos do banco Itaú, está investindo R$ 200 milhões no grupo Multi, dono de uma rede de 3.100 escolas de idiomas e computação, conhecidas por marcas como Wizard, Skill e Bit Company. Com o aporte desses recursos, os fundos da Kinea passarão a deter uma participação de cerca de 15% do capital do Multi.

"A estratégia de receber um novo sócio é decorrente do fato de diversos investidores estarem de olho no segmento de educação. Com os recursos vamos poder acelerar o ritmo de crescimento", afirma Carlos Martins, presidente e fundador do grupo.

O executivo começou a construir o Multi em 1987, a partir da criação da escola de inglês Wizard em Campinas (SP). Quase 20 anos depois, em 2005, partiu para a primeira aquisição de uma escola de idiomas no interior de São Paulo, a Planet. E, desde então, não parou mais. Hoje, possui as marcas Wizard, Skill, Alps, de escolas de idiomas, além de Microlins, SOS, Bit Company e People, na parte de cursos profissionalizantes. Ao todo, o grupo Multi possui 3.100 escolas, com um faturamento anual de R$ 1,8 bilhão e 1,1 milhão de alunos.

Com o caixa reforçado, Martins diz que o Multi começará a olhar para novos segmentos. "Queremos nos tornar um grupo com atuação em vários setores", afirma o executivo. Uma das frentes são os sistemas de ensino apostilados, atividade desenvolvida hoje pelo Anglo e pelo COC, por exemplo, que o presidente do Multi diz estar "namorando". Além disso, os recursos vão para a aquisição de outras redes em áreas nas quais o grupo já investe, além da abertura de novas unidades das marcas existentes. Os planos futuros do grupo também incluem a abertura de capital na bolsa de valores.

Esse é o primeiro investimento feito pelos fundos do Kinea no setor de educação. Porém, a exata participação final dos fundos ainda não está definida. A fatia vai girar em torno de 10% a 15%, mas dependerá, segundo Martins, dos resultados financeiros apresentados pelo grupo Multi em 2011.

"O segmento de ensino de idiomas e cursos profissionalizantes apresenta boas perspectivas, por conta da maior inserção do Brasil no comércio mundial, das necessidades de mão de obra especializada e dos eventos internacionais como Copa do Mundo e Olimpíadas", afirmou Cristiano Lauretti, chefe de "private equity" do Kinea, em um comunicado. Além da área de fundos de "private equity", o Kinea tem também fundos de investimento imobiliário e "hedge funds".

Martins decidiu entrar no negócio de educação depois de passar uma temporada nos Estados Unidos, onde entrou em contato com uma rede de ensino de idiomas. Quando voltou ao Brasil foi por um tempo executivo de uma empresa de papel e celulose em Campinas, em meio às aulas particulares de inglês que dava. Como a quantidade de aulas aumentava, decidiu largar o escritório e abriu a Wizard. Atualmente, outros integrantes da família Martins fazem parte do negócio. Charles, filho de Carlos, é presidente do conselho de administração do grupo Multi.

(Carolina Mandl | Valor)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *