Klöckner compra controle da Frefer e estreia no país

A distribuição de aço planos no Brasil, e até de produtos longos e especiais, acaba de ganhar um competidor de peso e renome internacional. A gigante alemã Klöckner consumou no início deste mês a compra do controle do grupo Frefer Metal Plus, sediado em São Paulo. O valor do negócio, por 70% do capital da empresa paulista, não foi revelado. A família controladora permanecerá como minoritária da Frefer, com 30%, e Christiano Cunha Freire foi mantido à frente da presidência executiva.

Com a aquisição, a segunda no ano, a Klöckner & Co, sediada em Duisburg, Alemanha, marca sua entrada em mercados emergentes. Fundada em 1906, se classifica como a maior produtora e distribuidora independente de aço e de produtos de metal e uma das principais distribuidoras e centro de serviços de aço nos mercados europeu e norte-americano.

A Frefer é a terceira maior entre distribuidores independentes do Brasil, não considerando a Gerdau. Obteve 8,1% de participação nas vendas em 2010 nesse segmento. O faturamento da distribuidora foi de R$ 340 milhões.

Neste ano, poucos dias antes de comprar a Frefer, a Klöckner adquiriu a distribuidora americana Macsteel Service Centers, cuja receita anual atinge € 1 bilhão. Segundo comunicado da alemã, foram desembolsados mais de € 700 milhões na aquisição dos ativos americano e brasileiro.

Pelos 70% da Frefer, fontes do setor estimam que foram pagos cerca de R$ 150 milhões, além de assumir dívidas da mesma ordem. Freire, presidente da Frefer, evitou falar sobre o valor da transação e destacou que o negócio – em conversações há mais de um ano – foi importante para a Frefer e para o setor no Brasil. "A empresa foi fortalecida com um sócio de peso, financeiramente, com capacidade de aportar recursos e fazer investimentos e com know-how na distribuição e centro de serviços".

No ranking geral, que inclui as distribuidoras coligadas às grandes siderúrgicas, a Frefer fechou 2010 com 4,9% de participação, com 213 mil toneladas vendidas. Conforme o Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda), a liderança ficou com a Soluções Usiminas, com 16,8% – 731 mil toneladas. As distribuidoras das usinas responderam por 49,6% do total.

A Klöckner não está vinculada a nenhuma siderúrgica e um dos seus principais clientes na Europa é a montadora de automóveis Volkswagen. No ano passado teve receita de € 5,2 bilhões, com movimentação de 5,3 milhões de toneladas de aços. No primeiro trimestre deste ano a receita atingiu € 1,6 bilhão, com alta de 51% sobre o mesmo trimestre de 2010.

A distribuidora alemã informa que tem mais de 170 mil clientes ativos, abastecidos por cerca de 280 unidades de distribuição e serviços espalhadas em 15 países da Europa e América do Norte. A empresa contava com 10 mil empregados no final de março.

A expansão do grupo alemão tem sido impulsionada por uma agressiva onda de aquisições iniciada em 2006. Naquele ano foram quatro operações. Em 2007, esse número triplicou. Nesse período, o avanço da Klöckner sobre ativos no exterior somou 24 operações, predominantemente em países europeus e nos estados Unidos. O Brasil é o primeiro que foge dessas regiões.

A meta da companhia alemã é alcançar um patamar de vendas entre 8 milhões e 10 milhões de toneladas por ano. (IR)

(Valor)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *