Magazine Luiza negocia a compra da rede Lojas Maia, do Nordeste

SÃO PAULO – A rede varejista Magazine Luiza está em fase avançada de negociações para a compra da nordestina Lojas Maia, com sede em João Pessoa e faturamento de cerca de R$ 500 milhões no ano passado. Segundo o Estado apurou, o negócio deve ser concluído até o fim da semana. Entre dívida da Lojas Maia e o pagamento em dinheiro aos seus acionistas, o negócio deverá ficar em cerca de R$ 300 milhões.

Se a aquisição se concretizar, a Magazine Luiza, que espera faturar R$ 5 bilhões em 2010, passará a ter uma receita de cerca de R$ 5,7 bilhões nesse ano – aproximando-se, assim, da segunda colocada no ranking do varejo. Neste ano, a Máquina de Vendas, resultado da fusão de Insinuante e Ricardo Eletro, espera faturar R$ 6,1 bilhões. Oficialmente, tanto a Magazine Luiza como a Lojas Maia negam que mantenham as conversas.

A negociação entre Lojas Maia e Magazine Luiza começou na semana passada e entrou no final de semana. "A Magazine Luiza está muito agressiva", diz um executivo a par das conversas. Até agora, não foi realizada due diligence (processo de levantamento dos números financeiros da empresa comprada). Há, porém, condicionantes no contrato de venda – caso sejam encontradas "surpresas", o contrato seria desfeito. A Lojas Maia tem seus balanços auditados há pelo menos quatro anos.

Essa não é a primeira vez que Lojas Maia e Magazine Luiza negociam. A primeira foi em 2007, mas as conversas não foram adiante por um desacordo quanto ao preço. Desde então, o cenário do setor mudou: o Grupo Pão de Açúcar comprou o Ponto Frio e depois se uniu à Casas Bahia. A Insinuante se juntou à Ricardo Eletro. Depois, se fundiram com a rede City Lar, de Mato Grosso.

Com cerca de 150 lojas em nove Estados do Nordeste, a Lojas Maia tem controle familiar. Em 2008, a empresa manteve negociações com a rede mexicana Elektra, que queria aumentar sua presença no País. As conversas duraram quase um ano, mas não foram adiante.

Audácia

No ano passado, a Magazine Luiza manteve negociações com a rede Ponto Frio, mas acabou perdendo a disputa para o concorrente Pão de Açúcar. A rede de Abilio Diniz fez sua proposta uma semana antes do combinado e aumentou o valor três dias depois. "Nosso investidor estava viajando e não pude fazer outra proposta", disse Luiza Helena Trajano, presidente do Magazine Luiza, em entrevista ao Estado no início do ano. A empresária declarou ter ficado uma semana de luto após o episódio.

Depois que o Pão de Açúcar fechou o seu segundo negócio, com a Casas Bahia, Luiza declarou: "O que descobri é que o Abilio Diniz foi muito audacioso. Muito mais do que imaginava e do que eu seria. Nunca passou pela minha cabeça, por exemplo, a possibilidade de a Casas Bahia vender mais de 50% de participação. Vi que preciso ter mais audácia."

Com sede em Franca, no interior de São Paulo, a Magazine Luiza tem 456 lojas em sete Estados e já declarou a intenção de abrir o capital.

(Melina Costa | O Estado de São Paulo)

 

 

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *