Moody’s estuda elevar rating da Gerdau e Fitch reafirma classificação

SÃO PAULO – A agência de classificação de risco Moody’s colocou em revisão, para possível elevação, os ratings da Gerdau e da subsidiária Gerdau Ameristeel, atualmente em “Ba1”.

A justificativa é o anúncio de uma oferta primária de ações, que deve ser concluída em abril deste ano, em que a companhia pretende captar entre R$ 3,8 bilhões e R$ 4,2 bilhões.

A Moody’s informou que o processo de revisão tem como foco o impacto da emissão na alavancagem da Gerdau e em sua estrutura de capital.

“O grupo executa um grande programa de investimento e continua a enfrentar pressões sobre as margens por crescentes custos de produção e menores preços devido a pressões dos importados”, considerou.

Segundo a Moody’s, o processo de revisão está sujeito à conclusão da emissão de ações, assim como aos esforços da empresa de criar uma melhor estrutura de dívida em toda a organização.

Fitch

Para a Fitch, a proposta de oferta de ações da Gerdau “demonstra o contínuo compromisso da companhia com uma estrutura de capital grau de investimento” e fortalece sua posição nas classificações “BBB-“ e “AA+(bra)”. 

A agência de classificação considerou que, se a emissão for bem-sucedida, o índice que relaciona a dívida líquida com o Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) vai se reduzir  a uma proporção de menos de 2 vezes, contra 2,5 vezes, em 2010, e 2,9 vezes, em 2009.

“A alavancagem da Gerdau havia aumentado nos últimos anos, devido à acentuada queda no mercado de aço em 2009, e aos grandes investimentos feitos em 2010”, considerou a Fitch.

Para a agência, os recursos da emissão também vão ajudar a financiar uma parcela do programa de investimentos da companhia nos próximos três anos.

(Luciana Seabra | Valor)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *