Odebrecht está prestes a assumir controle da Supervia

A concessionária de trens metropolitanos do Rio, a Supervia, vai anunciar nos próximos dias a entrada da Odebrecht como sua sócia controladora. Por intermédio da Odebrecht Transport, braço de infraestrutura e logística, o grupo baiano assumirá 60% da empresa fluminense. Os 40% restantes permanecerão em mãos dos quatro fundos de investimento estrangeiros que até agora controlavam 100% do capital da concessionária.

O valor da operação não é conhecido, mas o Valor apurou que os sócios, incluindo a Odebrecht, vão investir a partir deste ano R$ 150 milhões em melhorias operacionais, principalmente em um novo sistema de sinalização que permitirá aumentar a segurança e reduzir o intervalo entre os trens. O investimento deverá ser dividido na proporção da participação acionária de cada um.

As negociações vêm ocorrendo desde o início do ano e, além dos sócios privados, envolvem o governo do Rio, que considera a recuperação dos trens suburbanos um ponto fundamental na estratégia de revitalização da estrutura de transportes de passageiros do Estado para Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016.

Privatizada em 1998, a Supervia é controlada pela holding Rio Trens Participações que, por sua vez, pertence à Rio Trens Corporation, sediada nas Ilhas Cayman. Seus acionistas são quatro fundos de investimento: The Transportation Infraestruture Equity Fund, com 37,1% do capital; Rio Trens Fund, com 18,5%; Rio Rail Partners, com 25,9%; e Electra International Brazil, com 18,5%.

Segundo fontes do setor, um caminho para entrada da Odebrecht na Supervia passaria pela diluição da participação de dois dos fundos: o Rio Rail Partners e o Electra International Brazil, ambos geridos pela Electra Partners Brazil. O Valor procurou a gestora recentemente, mas o responsável pela empresa não quis comentar o assunto. A Odebrecht e a Supervia também não dão informações sobre a operação.

No início do ano, a Invepar, controlada por Previ, Petros, Funcef e OAS, mostrou interesse no negócio, mas foi informada que já havia uma aproximação com a Odebrecht, segundo uma fonte de um dos fundos. Na época, os donos da companhia queriam R$ 1 bilhão pela concessionária, o que foi considerado pelos fundos um valor muito alto. No setor também se comentou sobre o interesse de empresas da área de concessões rodoviárias do país.

Para dar a volta por cima, a Supervia conta com um programa de investimentos de R$ 2,3 bilhões a serem aplicados entre 2010 e 2020. Deste total, R$ 1,1 bilhão correspondem à compra de 90 trens pelo governo do Estado do Rio, dos quais 30 foram adquiridos na China e começam a chegar a partir de 2011. A meta com os investimentos, considerando-se a modernização das vias e das estações, é transportar um milhão de passageiros em 2013, retomando uma média diária por dia útil verificada nos anos de 1980. No fim dos anos de 1990, essa média havia caído para 145 mil passageiros por dia. Em abril deste ano, o número de passageiros chegou a 540 mil passageiros em um dia. Este ano a Supervia deve faturar mais de R$ 300 milhões.

(Heloisa Magalhães, Chico Santos, Francisco Góes e Vera Durão | Valor)

 

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *