Oi fecha acordo para aquisição da Vex por R$ 100 milhões

Falta apenas um passo para a Vex, empresa brasileira que detém 42 mil pontos de acesso à internet a partir de aeroportos, cafés e hotéis de 57 países, ser oficialmente arrematada pela operadora Oi.

Um memorando de entendimento para a compra do negócio foi assinado entre as duas empresas na semana passada, restando agora aprovação do conselho de administração da Oi para a aquisição ser oficialmente fechada.

Uma reunião estava marcada para ocorrer na sexta-feira passada, mas foi adiada para esta quinta-feira (26/5).

"Não sei se a compra entra na pauta desta semana. Talvez fique para o próximo mês", afirma Luiz Fernando Falco, presidente da Oi.

O valor da transação está estimado em até R$ 100 milhões, conforme antecipou o Brasil Econômico, na edição do dia 29 de abril.

O processo de compra da Vex, negócio criado em 2002 pelo empresário paulistano Roberto Ugolini Neto, teve início há cerca de um ano, já passou pela fase de due dilligence e chegou a ser disputado também pela Tim e pela Vivo, que chegou tarde ao páreo.

De acordo com um conhecido consultor de telecomunicações, a incorporação da Vex pela Oi é uma estratégia acertada para descarregar o tráfego 3G. Tecnologias alternativas como o WiFi oferecido pela Vex é parte da solução.

Contudo, ele lembra que esta aquisição não pode e nem deve diminuir o compromisso da Oi de ampliar sua rede 3G. O consultor lembra que a Oi foi a última entrante entre as operadoras de telefonia móvel a implantar a rede 3G, até mesmo por questões de origem financeira.

Com os pontos de acesso da Vex, a Oi finalmente encontrará uma tecnologia alternativa para a transferência de dados, uma demanda crescente por parte de seus assinantes.

Comenta-se no mercado que, há cerca de quatro anos, a Oi fez uma tentativa de compra da Vex. Mas, na época, Ugolini teria pedido um valor alto demais. Agora, com a entrada da Portugal Telecom na operadora, o caixa engordou.

Ao mesmo tempo, há informações de que a Vex tenha uma situação financeira pior que há quatro anos e caixa limitado para fazer investimentos.

Velox e Vex

Hoje a Oi oferece telefonia móvel, fixa e internet, a exemplo do Velox, que tem 4,3 milhões de assinantes.

Há chances de a operadora criar um modelo comercial mais agressivo e integrar os serviços de banda larga em casa e ambientes públicos para assinantes do serviço Velox.

(Françoise Terzian l Brasil Econômico)

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *