Pão de Açúcar pode superar meta de vendas de 2010

O Grupo Pão de Açúcar pode registrar aumento de mais de 19% nas vendas brutas do último trimestre do ano, superando a meta de encerrar 2010 com faturamento de R$ 33 bilhões.

"Estamos bastante confortáveis (com a meta de vendas em 2010)", disse o vice-presidente executivo do grupo, Hugo Bethlem, em entrevista à Reuters nesta quarta-feira.

A maior varejista do país informou mais cedo que suas vendas brutas alcançaram R$ 7,94 bilhões no terceiro trimestre, alta de 15,9% sobre um ano antes.

Para alcançar a meta de R$ 33 bilhões em vendas brutas no fechado do ano, a companhia tem saldo de R$ 9,5 bilhões a cumprir, equivalente a uma alta de 19% na comparação com outubro a dezembro de 2009. "No ano passado fizemos 21% (de alta no quarto trimestre ante 2008)", mencionou o executivo.

Nos nove meses até setembro, o Pão de Açúcar contabiliza vendas brutas de R$ 23,5 bilhões, avanço de 32,4% sobre o apurado um ano antes. Pelo conceito mesmas lojas –que considera apenas aquelas em operação há pelo menos 12 meses– as vendas brutas do grupo tiveram aumento de 12,5% no trimestre encerrado em setembro.

O intervalo de julho a setembro marcou o primeiro trimestre em que os números da companhia contemplaram de forma comparável as operações da rede Ponto Frio (Globex), adquirida pela empresa em junho de 2009.

Segundo Bethlem, o processo de recuperação da Globex caminhou mais rápido que o previsto.

No terceiro trimestre, as vendas brutas da Globex –que incluem Ponto Frio, operações de comércio eletrônico e de atacado– avançaram 43,8% ante igual período de 2009, para R$ 1,72 bilhão. Pelo conceito mesmas lojas, o aumento foi de 33,2%.

O Pão de Açúcar divulgará seu resultado trimestral consolidado em 11 de novembro.

INVESTIMENTO MENOR

Apesar da expectativa de cumprir a meta anual de vendas, o Pão de Açúcar investirá menos que o previsto em 2010, conforme já havia sido antecipado pelo presidente-executivo do grupo, Enéas Pestana.

Segundo Bethlem, o montante investido este ano deve ficar entre R$ 1,3 bilhão e R$ 1,4 bilhão, contra estimativa no início do ano de atingir R$ 1,6 bilhão.

Apesar disso, de acordo com ele, a empresa mantém a meta de fechar o ano com 100 novas lojas inauguradas. Até junho, a companhia abriu 24 unidades.

"O ”guidance” é focado em metros quadrados adicionais. Mais importante que o número de lojas é o aumento de metros quadrados para aumentar a área de vendas", disse o executivo.

A previsão de expansão da área de vendas do grupo este ano é de 7 a 8%, "meta que será cumprida", garantiu o executivo.

Ainda de acordo com Bethlem, a redução do valor a ser investido é resultado de uma menor quantia destinada à reforma e conversão de lojas Extra Eletro –que passarão a ter bandeira Ponto Frio ou Casas Bahia. "Estamos investindo de R$ 800 mil a R$ 900 mil por loja", afirmou ele. Antes, cada loja demandava cerca de R$ 1,5 milhões.

Além disso, segundo ele, a companhia "deu uma freada" nos investimentos em logística e tecnologia da informação, à espera do processo de análise da fusão com Casas Bahia por parte do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), o que deve ocorrer a partir de janeiro de 2011.

(Folha Online)

 

+ posts

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *