Amil deverá vencer privatização da HPP

Grupo brasileiro oferece 81 milhões de euros pela empresa de hospitais da estatalCaixa Geral de Depósitos, devendo em breve ser confirmado como vencedor da venda pelo Governo luso.

O grupo brasileiro de saúde Amil deverá ser anunciado brevemente como o vencedor da operação de venda da HPP – Hospitais Privados de Portugal, uma empresa que, apesar do nome, é maioritariamente controlada pelo banco estatal Caixa Geral de Depósitos (CGD).

De acordo com a imprensa portuguesa, a oferta da Amil pelo grupo HPP, no valor de 81 milhões de euros, bateu os outros concorrentes, incluindo a proposta portuguesa da empresa Frontino, liderada pelo empresário Jaime Antunes, que estava disposta a pagar 75 milhões de euros pela HPP.

O “Correio da Manhã” já deu como certa a venda da HPP à companhia brasileira, mas a operação carece ainda da aprovação do Governo português.

Na sua edição desta terça-feira o “Jornal de Negócios” escreve que para o Ministério das Finanças, que é quem decidirá a operação, “a necessidade de manter o nível de concorrência entre os grandes prestadores privados de cuidados de saúde e o facto de um operador internacional ter vantagens na atracção de pacientes estrangeiros a Portugal são alguns dos argumentos que deverão justificar a escolha da brasileira Amil”.

Se a Amil for confirmada como vencedora da privatização, a companhia brasileira (que acaba de ser alvo de uma oferta de aquisição por parte da norte-americana United Health) passará a ter acesso a uma rede hospitalar em Portugal que inclui nove unidades, de onde se destacam o Hospital dos Lusíadas (Lisboa), o Hospital da Boavista (Porto) e o Hospital de Cascais, este último na modalidade de parceria público-privada.

O grupo HPP tem ainda cinco unidades de saúde no Algarve, uma das regiões portuguesas que movimentam mais turistas no Verão.

(Câmara Portuguesa)

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.