Banco Gerador prepara carteira com foco em projetos imobiliários no NE

Com crescimento econômico acima da média nacional, a região Nordeste tem atraído diversos projetos imobiliários para atender a grande demanda voltada tanto para infraestrutura como no segmento residencial. O Banco Gerador, que adquiriu a marca Banorte e tem sede no Nordeste, está lançando um fundo para investir em empreendimentos em Cabo de Santo Agostinho, na região do Grande Recife e em Salvador (BA).
 
Os investimentos serão realizados por meio de um fundo imobiliário, com previsão de captação de R$ 100 milhões, e que terá aplicação mínima de R$ 50 mil, conforme prospecto da oferta em análise na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
 
Os empreendimentos serão desenvolvidos pela Moura Dubeux Engenharia. O projeto Convida compreenderá a construção de um centro urbano planejado em uma área de 470 metros quadrados no município do Cabo de Santo Agostinho, próximo ao porto de Suape, que incluirá imóveis residenciais, além de toda a infraestrutura urbana para atender os moradores, como campus universitário, centro de negócios e de saúde e um polo de comércio.
 
O fundo será um dos investidores do projeto, que tem prazo previsto de dez anos e deve demandar mais de R$ 200 milhões, e será realizado em três etapas consecutivas. Na primeira fase, serão construídas cerca de 6 mil unidades residenciais, de um total de 25 mil moradias previstas até a etapa final do projeto.
 
O mercado imobiliário na região metropolitana de Recife tem apresentado rápido crescimento em função da demanda por moradias criada pelo desenvolvimento do polo de Suape, que deverá receber investimentos da ordem de US$ 17 bilhões, e conta com 100 empresas instaladas e outras 35 em fase de implantação, incluindo uma refinaria de petróleo, três plantas petroquímicas e o maior estaleiro do Hemisfério Sul. Por consequência, estima-se que serão criados aproximadamente 12 mil empregos diretos e 204 mil empregos indiretos.
 
O desenvolvimento do complexo inflou o preço do metro quadrado em Recife, que apresentou a segundo maior valorização, de 30,7%, entre as principais capitais brasileiras no ano passado, só perdendo para o Rio de Janeiro. Segundo dados da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) de Pernambuco, no ano passado foram lançadas 4.858 unidades residenciais na região, queda de 39,3% em relação a 2010, levando a uma retração de 38,8% das vendas no período.
 
Já o Projeto Aratu, localizado às margens da rodovia BR232 no município de Simões Filho, próximo à Salvador, em um terreno de 3,7 milhões de metros quadrados, no qual está prevista a instalação de aproximadamente 860 mil metros quadrados de galpões logísticos que estarão integrados em condomínios modelares a uma plataforma multimodal. O complexo destina-se a apoiar as atividades e as empresas localizadas na área do distrito industrial de Aratu, na região metropolitana de Salvador, que tem 144 empresas instaladas, sendo 121 no município de Simões Filho.

(Silvia Rosa | Valor)

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *