Com novo dono, Imbra terá franquias

Após comprar o controle da Imbra por US$ 1 e receber um empréstimo de R$ 40 milhões da antiga dona, a GP Investments, o novo proprietário da empresa de implantes dentários tem planos ambiciosos para sua mais recente aquisição. O grupo empresarial paulista Arbeit quer duplicar o tamanho da Imbra, que hoje fatura cerca de R$ 20 milhões e atende 5 mil clientes por mês.

A principal mudança no atual modelo de negócio da Imbra – considerado ineficiente pelo mercado – diz respeito à rede de atendimento, que atualmente é formada por 670 dentistas e 26 clínicas próprias que geram custo fixo alto.

A ideia é trabalhar por meio de franquias. "Nosso objetivo é ter em 18 meses de 150 a 200 franquias. Essas franquias podem ser novas clínicas ou dentistas que já têm consultórios e compram pacotes de implantes da Imbra", disse Marco Nishigaki, fundador da Arbeit.

Segundo Nishigaki, ao se associar à Imbra os dentistas poderão oferecer financiamentos de até 36 meses aos seus pacientes. Segundo fontes ouvidas pelo Valor, um dos problemas da Imbra é que ao oferecer esses financiamentos a empresa banca o risco de crédito. "Se houver inadimplência não é possível ter o serviço ou produto odontológico de volta como acontece com um empréstimo de carro", disse uma fonte do setor. O novo dono da Imbra reconhece que pode haver inadimplência, mas que a "taxa de calote" na empresa é de apenas 1,5% por mês.

Outro ponto considerado pelo mercado como um grande gerador de despesas é o alto investimento que a Imbra faz em marketing. De acordo com Nishigaki, a empresa de implantes investe por mês entre R$ 4 milhões e R$ 5 milhões em mídia e poderá até aumentar essa quantia. "Vamos ampliar nossos canais de venda, que hoje estão restritos à mídia em TV e call center. Queremos ampliar para internet e rádio, por exemplo, para democratizar o acesso aos implantes dentários", explicou.

A expansão da Imbra será feita com os recursos da GP Investiments. A gestora de fundos concedeu um empréstimo de R$ 40 milhões, sendo que R$ 20 milhões já foram depositados e a outra metade é um crédito de longo prazo. Além da expansão, esses recursos também serão usados para pagamento da dívida da Imbra, cujo montante o executivo não revela afirmando apenas que "o valor da dívida é equivalente ao faturamento."

O executivo também negocia a compra dos 22% restantes do capital da Imbra, que ainda estão nas mãos dos fundadores. "Tive uma reunião hoje [ontem] com os fundadores e eles não demonstraram interesse em vender. Mas vamos procurar a melhor maneira de resolver essa questão", explicou Nishigaki, que criou a Arbeit em 1998 com negócios na área de energia.

De acordo com Nishigaki, sua empresa tem um faturamento anual superior a R$ 300 milhões – receita proveniente das participações que detém em oito centrais hidrelétricas, em empresas de bebidas (groselha Milani, sucos Maraú e Betamix) e nos segmentos de imóveis e de aviação (AviaServ).

(Beth Koike | Valor)
 

 

 

 

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.