Fundo compra participação de 11% na gaúcha Sulmaq

Líder do mercado brasileiro de equipamentos para linhas completas de abate e desossa de suínos, bovinos e ovinos, a gaúcha Sulmaq Industrial e Comercial S.A., acertou a venda de uma participação acionária de 11% para o fundo CRP VI Venture, gerido pela CRP Companhia de Participações, também sediada no Rio Grande do Sul. O valor do negócio não foi divulgado.

A partir do acordo, os novos parceiros planejam investir de R$ 50 milhões a R$ 60 milhões nos próximos três anos para mais do que dobrar a Sulmaq, que faturou cerca de R$ 70 milhões no ano passado, patamar semelhante ao observado no ano anterior. A estratégia de expansão está sendo definida e pode envolver a construção de novas fábricas, aquisições de outras empresas ou a formação de joint ventures.

Além de irrigar o projeto de expansão com recursos, o fundo, focado em governança corporativa, terá participação na gestão e ocupará um assento no novo conselho de administração da Sulmaq. No conselho também estarão os quatro irmãos que controlam a empresa e um conselheiro independente. A profissionalização inclui a contratação de um auditoria, que já trabalha na sede da Sulmaq em Guaporé.

Segundo o diretor Fernando Roos, um dos três irmãos que participam diretamente da administração da Sulmaq, lembra que a empresa foi fundada em 1971 com foco na manutenção de plantas industriais de suínos do norte gaúcho. A primeira mudança de patamar foi em 1993, com o início do estabelecimento de parcerias de vendas com grupos estrangeiros de equipamentos, a entrada no segmento de aves e a abertura de novos mercados.

Alguns anos depois, a Sulmaq deixou de atuar na área de aves e partiu para os bovinos, ainda com o modelo de parcerias, no qual a companhia atua como agente, distribuidora ou fabricante licenciada. Hoje, conforme Roos, são 15 parceiros internacionais no total. Redefinido o foco, a empresa começou a exportar seus equipamentos, sobretudo para outros países da América Latina.

O faturamento da Sulmaq pode ser dividido de duas formas. A produção própria de equipamentos e linhas completas nas duas fábricas dedicadas ao ramo em Guaporé representam cerca de 80% da receita bruta, cabendo às vendas de equipamentos de terceiros os 20% restantes. O mercado brasileiro costuma responder por 80% das vendas totais. O cadastro do grupo gaúcho inclui mais de 100 clientes, entre os quais os principais frigoríficos exportadores de carnes bovina, suína e de frango do país.

Conforme Roos, a venda da participação para o fundo administrado pelo CRP foi uma forma de fortalecer a Sulmaq tendo em vista o forte potencial de crescimento da produção brasileira de carnes, seja destinada ao mercado interno ou às exportações. "Estrategicamente, queremos acelerar a internacionalização e nos firmar cada vez mais como referência tecnológica", diz.

Segundo João Marcelo Eboli, sócio da CRP Companhia de Participações, a entrada do fundo gerido por ela no capital e na gestão da Sulmaq reflete o potencial de uma empresa relativamente jovem que atua em mercados que se profissionalizam e se concentram aceleradamente e têm forte potencial de expansão. Segundo ele, a abertura do capital da empresa no futuro é considerado. BNDESPar, Fapes, Petros, Finep, BIC/MIF e a própria CRP são investidores no fundo CRP VI Venture.

(Fernando Lopes|Valor Econômico)

 

 

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.