Itaú Unibanco também pode ganhar com aquisições do Magazine Luiza

São Paulo – Uma das dificuldades nas integrações decorrentes de aquisições no varejo é a questão do financiamento aos clientes. Na eventual aquisição da Lojas Maia e da Lojas Colombo pelo Magazine Luiza, não seria diferente. "É uma bela salada", diz Boanerges Ramos Freire, presidente da consultoria em varejo financeiro Boanerges & Cia. O Magazine Luiza é sócio do Itaú Unibanco na LuizaCred, sua financeira, enquanto a Lojas Maia tem um acordo com o Banco do Brasil, e a Lojas Colombo com o Bradesco.

A tendência nas fusões de varejo, segundo Freire, é que as empresas adotem o banco da compradora, especialmente quando eles já são sócios em uma financeira, como é o caso do Magazine Luiza. "É uma possibilidade grande a financeira ser a LuizaCred; ela é a que tem mais experiência e mais gosto por essa parte, então seria natural que, num processo de fusão liderado pelo Magazine Luiza, a LuizaCred também fosse líder", afirma Álvaro Musa, sócio da consultoria Partner Conhecimento e ex-presidente da Credicard do Brasil.

Mas ainda não é possível ter certeza do que vai acontecer nesse caso. O motivo é que os contratos entre bancos e varejistas podem ser longos – de até 20 anos – e rompê-los pode ser custoso para o novo controlador das redes, segundo Freire. Concentrar o negócio em apenas uma financeira traz vantagens como o ganho de produtividade, diz o consultor. Por outro lado, manter as diversas financeiras também pode ser positivo, desde que isso estimule a concorrência.

"Não deve acontecer da noite para o dia, deve ser uma transição lenta e talvez a gente veja a convivência de alguns parceiros por certo tempo", diz Freire. Na associação da Casas Bahia com o Pão de Açúcar, por exemplo, ainda não foi definido qual ou quais financeiras serão usadas. O Pão de Açúcar é sócio do Itaú em sua financeira, enquanto a Casas Bahia tem uma parceria com o Bradesco.

LuizaCred no nordeste

A possível compra da Lojas Maia seria uma oportunidade de crescimento para os produtos financeiros do Magazine Luiza, segundo Renato Meirelles, sócio-diretor do Instituto Data Popular. "Não há no nordeste algo como o LuizaCred", disse Meirelles. "Há uma demanda no nordeste de um crédito diferenciado que o Magazine oferece", afirma Meirelles.

A principal diferença entre o LuizaCred e outros private labels existentes na região é o relacionamento com os clientes, que é mais pessoal e menos realizado por máquinas segundo o consultor. "São produtos financeiros com cara do varejo e não dos bancos. O consumidor adora o varejo e odeia os bancos", diz Meirelles.

A LuizaCred foi criada em 2001, fruto da associação entre o Magazine Luiza e o Unibanco. Ela iniciou suas atividades financiando os clientes do Magazine Luiza através do carnê e depois passou a oferecer também empréstimos pessoais. O cartão de crédito chegou em 2007, e hoje é o produto principal. A LuizaCred possui mais de um milhão de clientes, segundo a empresa.

(Beatriz Olivon | Portal Exame)

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.