Maior laboratório do Rio abre unidade própria em SP

O laboratório Sérgio Franco Medicina Diagnóstica, líder do mercado de análises clínicas do Rio de Janeiro, está chegando ao mercado da cidade de São Paulo com uma unidade própria. Segundo Fábio Xavier, diretor financeiro da empresa que no ano passado faturou aproximadamente R$ 350 milhões, a unidade de 800 metros quadrados, localizada na avenida Brasil, no bairro dos Jardins, deverá ser inaugurada em julho ou agosto. O Sérgio Franco é controlado pelo empresário Édson Godoy Bueno, também controlador da Amil, líder do mercado de seguro saúde do país.

A empresa já possui duas operações em São Paulo, mas ambas cativas de hospitais, uma no Hospital 9 de Julho e outra no Sabará, um hospital infantil. Xavier disse que paralelamente à construção da primeira unidade, foi criado um grupo de trabalho para planejar a expansão no Estado mais rico do país. O trabalho, segundo o executivo, está em fase de conclusão.

O laboratório Sérgio Franco opera atualmente no Rio de Janeiro – capital, região metropolitana e Macaé, norte do Estado – e no Paraná (Curitiba), além das duas unidades dentro de hospitais paulistas. No total, são 100 unidades, sendo 92 no Rio, de acordo com as informações de Xavier. Em São Paulo, a empresa também está construindo em Tamboré um centro de exames para atender a unidade dos Jardins e futuras expansões.

Xavier estima que o laboratório Sérgio Franco atenda aproximadamente 30% do mercado de saúde suplementar (planos de saúde) do Rio de Janeiro. Quando a avaliação é global, incluindo o Sistema Único de Saúde (SUS), essa participação cai para algo entre 2% e 3%, na avaliação do executivo. Ele disse que a empresa está avaliando trabalhar para o SUS, considerando que o maior obstáculo, a falta de garantia de pagamento, está sendo superado com o aumento da responsabilidade por parte dos governos em geral.

Nas últimas semanas circulou com insistência nos meios médicos do Rio que o Sérgio Franco estaria sendo comprado pelo laboratório Dasa, de São Paulo, rumor desmentido por ambas as partes. O Sérgio Franco pertence integralmente a Bueno desde 2001. Até então, o laboratório era controlado por uma associação em partes iguais entre a Amil e a Golden Cross. Bueno comprou a parte da Golden e separou a outra parte da Amil, ficando como único dono da empresa, gerida pela holding MD1 Diagnósticos S.A.

O laboratório foi fundado em 1940 pelo patologista Sérgio Affonso Monteiro Franco que vendeu a empresa em 1983 para a Amil e a Golden e morreu em 1986. Após o fim da sociedade Amil-Golden Cross, o laboratório iniciou uma fase de expansão. Hoje, além da própria Amil, ele atende a mais 110 convênios, segundo dados fornecidos por Xavier. A Amil, sozinha, faturou em 2009 R$ 3,4 bilhões, o que correspondeu a 18,5% do faturamento total do setor de seguro saúde do Brasil.
 
(Chico Santos | Valor)

 

 

 

 
 

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.