Nestlé estuda fazer aquisições nos emergentes

A Nestlé, maior companhia de alimentos do mundo, anunciou interesse em aquisições de empresas em países emergentes e descartou a possibilidade de apresentar alguma oferta pela Cadbury, pois considera sua própria unidade de doces grande o suficiente.

A "prioridade" são aquisições de pequena escala em mercados emergentes e a empresa de Vevey, Suíça, intensificou a busca por esse tipo de operações, segundo afirmou o principal executivo de finanças da Nestlé, Jim Singh, em conferência telefônica com analistas, ontem, quinta-feira. A Nestlé também poderia cogitar promover compras "pequenas e pontuais" para expandir suas operações com chocolates, disse Singh.

A Nestlé não tem interesse em participar "em qualquer aspecto do processo de ofertas" pela Cadbury, acrescentou. Na sessão de ontem, as ações da Cadbury ficaram brevemente baixo do valor da oferta da Kraft Foods, que, no total, equivale a 11 bilhões de libras esterlinas (US$ 18 bilhões).

A Nestlé pode estudar a compra dos direitos sobre o chocolate Kit Kat nos EUA, que pertencem à Hershey, já que a empresa poderia estar atrás de recursos para entrar na disputa pela Cadbury, de acordo com o analista David Hayes, da Nomura International Plc.

"Sem dúvida, se a Nestlé tiver a oportunidade, eles comprarão os direitos do Kit Kat e do [chocolate] Rolo", afirmou um analista a Zuercher Kantonalbank, em Zurique.

Quando perguntado se a Nestlé poderia comprar marcas de algum ofertante pela Cadbury, Singh disse apenas que isso era "muito especulativo" e não quis fazer mais comentários.

A Nestlé, que nesta semana acertou a compra das operações de pizzas congeladas da Kraft na América do Norte, por US$ 3,7 bilhões, ressaltou que estava interessada em expandir-se nesse mercado há anos. A Nestlé havia abordado a Kraft, cuja sede fica em Illinois, há vários meses, segundo o presidente do conselho da unidade da Nestlé nos EUA, Brad Alford. A empresa suíça almejava conseguir fechar o acordo em 2009, segundo Singh.

A Nestlé possui cerca de 5 bilhões de francos suíços (US$ 4,84 bilhões) restantes em seu programa atual de recompra de ações, antes de dar início a outro, de 10 bilhões de francos, que foi anunciado em 4 de janeiro.

A empresa de alimentos usará parte dos US$ 28,1 bilhões em dinheiro que receberá pela venda de sua participação na Alcon Inc. para a Novartis AG para reduzir seu endividamento, afirmou Singh.

(Thomas Mulier – Valor Econômico)
 

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.