Onda de fusões e aquisições deve continuar

O surgimento da Latam acontece em meio a uma onda de aquisições e fusões de companhias aéreas – não só no Brasil, mas em todo o mundo – cujo fim ainda está longe de terminar.

No mercado brasileiro, a última grande negociação havia sido anunciada em março de 2007, quando a Gol comprou a Varig por US$ 320 milhões e começou a ameaçar a hegemonia da TAM nos voos domésticos, posto alcançado em meados de julho de 2006.

De lá para cá, a regional americana Skywest comprou 20% do capital votante da também regional Trip. Estima-se que a negociação envolveu US$ 30 milhões. Em dezembro do ano passado, foi a vez de a TAM anunciar a compra da Pantanal, com atuação no interior de São Paulo, por R$ 13 milhões.

No exterior, especialmente na Europa, uma das mais recentes negociações envolveu a fusão da British Airways com a espanhola Iberia, aprovada pela Comissão Europeia em 14 de julho. Antes disso, Air France e KLM já havia se unido, assim como a Lufthansa e a Swiss.

Nos Estados Unidos, United e Continental tiveram sua fusão aprovada em maio. Em dezembro de 2009, o governo americano aprovou a união entre a Delta e a Northwest.

(Valor)

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.