Onde é mais caro morar em 16 cidades brasileiras

Veja os bairros mais caros de 16 cidades brasileiras, segundo o Índice FipeZap

São Paulo – Leblon, Vila Nova Conceição, Savassi. Nomes como esses já são velhos conhecidos como bairros caros para se morar. Mas a partir deste mês de fevereiro, o Índice FipeZap, que acompanhava o preço do metro quadrado dos imóveis anunciados em sete regiões, passa a divulgar também os valores em outros nove municípios, inclusive cidades que não são capitais.

Agora são 16 regiões que terão seu mercado imobiliário acompanhado pelo índice: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Distrito Federal, Recife, Fortaleza, Salvador e as novatas Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Vitória, Vila Velha (ES), Santo André (SP), São Bernardo do Campo (SP), São Caetano do Sul (SP) e Niterói (RJ). Veja na tabela a seguir qual é o bairro mais caro em cada uma dessas cidades e o respectivo preço médio do metro quadrado anunciado:

Bairro

Região

Preço médio do metro quadrado (R$)

Leblon

Rio de Janeiro

20.451

Vila Nova Conceição

São Paulo

12.100

Setor Noroeste

Distrito Federal

10.565

Charitas

Niterói (RJ)

7.722

Savassi

Belo Horizonte

7.568

Jurerê Internacional

Florianópolis

7.479

Cais do Porto

Fortaleza

6.986

Três Figueiras

Porto Alegre

6.834

Campina do Siqueira

Curitiba

6.556

Pina

Recife

5.628

Vila Alpina

Santo André (SP)

5.483

Campo Grande, Canela e Vitória

Salvador

5.311

Jardim São Caetano

São Caetano do Sul (SP)

5.216

Mata da Praia

Vitória

4.758

Centro

São Bernardo do Campo (SP)

4.206

Praia da Costa

Vila Velha (ES)

3.700

Fonte: Índice FipeZap

Pela tabela, um imóvel de 100 metros quadrados no Leblon custaria 2.045.100 de reais, enquanto que um imóvel semelhante em Vila Velha, no Espírito Santo, não sairia por mais de 370.000 reais. De todas as cidades acompanhadas pelo índice atualmente, aliás, Vila Velha tem o metro quadrado médio mais em conta, de 3.440 reais.

O indicador calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o site de classificados Zap Imóveis acompanha o preço do metro quadrado de imóveis usados anunciados na internet, principalmente no Zap. Não se trata de uma medida perfeita do valor de fato pago pelos imóveis, que costuma ser inferior ao preço anunciado, mas a tendência de alta e de baixa no longo prazo costuma ser a mesma, de acordo com o coordenador do projeto na Fipe. A razão disso é o fato de os vendedores competirem entre si por compradores, não podendo anunciar preços muito acima do que os compradores estejam dispostos a pagar.

(Julia Wiltgen | Exame)

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *