Reclamações sobre fundos imobiliários aumentam em 2012; saiba por que e como se proteger.

Entre janeiro e agosto deste ano foram abertos 13 processos de reclamação envolvendo este tipo de produto; No mesmo período de 2011, houve apenas uma ocorrência

As reclamações envolvendo os fundos de investimentos imobiliários aumentaram entre 2011 e 2012. De acordo com dados da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) levantados a pedido do InfoMoney, entre janeiro e agosto deste ano foram abertos 13 processos de reclamação envolvendo este tipo de produto. No mesmo período de 2011, houve apenas uma ocorrência deste tipo.

Segundo  a autarquia, os principais assuntos reclamados foram:

• Deficiência nas informações prestada pelo administrador do fundo e especificamente o não atendimento a solicitação de esclarecimentos/informações;

• Problemas em transferências de cotas;

• Material publicitário com alegadas irregularidades;

• Irregularidades em procedimentos para alteração de regulamento;

• Questionamentos sobre taxas do fundo.

Aumento no número de fundos e investidores
Para o advogado e especialista em fundos imobiliários Arthur Vieira de Moraes, apesar de saltar de apenas uma reclamação para 13 em um ano, em um universo de quase 50 mil investidores, este número ainda é baixo. “Não foi apenas o número de investidores que cresceu, muitos novos fundos e até novos gestores apareceram”, pontua. Segundo  dados da BM&FBovespa, apenas nos oito meses de 2012, o número de investidores dos fundos imobiliários aumentou 36%, ao passar de 35.282 para 47.959. O número de fundos também aumentou 25%, de 66 para 83 fundos até o final de setembro.

O especialista aponta que dos 5 itens que aparecem entre os mais reclamados, 4 estão diretamente ligados às atividades dos gestores e administradores dos fundos, principalmente quanto ao relacionamento com investidores. “Ainda não existe uma padronização das informações prestadas aos cotistas e ao mercado em geral, alguns fundos sequer elaboram um relatório mensal, outros elaboram relatórios com poucas e lacônicas informações. Mas temos exemplos de fundos com excelentes relatórios, bem elaborados e detalhados. Alguns gestores já destacam profissionais de RI para atender aos investidores”, pontua.

Para ele, a principal defesa do investidor é conhecer os gestores antes de investir. Ele lembra que na página da BM&FBovespa ficam arquivados os comunicados e os fatos relevantes emitidos pelo fundo e que é importante o investidor pesquisar antes de aplicar seu dinheiro. “O papel do gestor é fundamental para o bom desempenho do fundo, é ele quem vai decidir (dentro dos parâmetros estabelecidos na lei e no regulamento do fundo) quais ativos comprar ou vender, para quem alugar imóveis etc. É essencial que o investidor busque, ao menos, se informar sobre os gestores”, aponta. “Melhor ainda se desenvolver um bom relacionamento com eles, principalmente participando das assembléias do fundo”, conclui Moraes.

(Diego Lazzaris Borges | Infomoney)

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *