Região metropolitana de Campinas atrai novos hotéis

O grupo Nogueira Porto, administrador da Rede Vitória Hotéis na região metropolitana de Campinas, está investindo R$ 60 milhões na construção de um novo empreendimento no padrão luxo e na ampliação de outros dois, da mesma categoria. As obras devem ser concluídas até o fim do ano, segundo o sócio-diretor da empresa, José Eduardo Porto.
Os novos investimentos, de acordo Porto, foram motivados pelo crescimento do nível de ocupação dos hotéis e da existência de uma demanda para novos quartos nessa área. "A expansão industrial da região metropolitana de Campinas tem movimentado bastante o turismo corporativo e 90% da ocupação dos hotéis da rede Vitória é representada por pessoas que vão ao interior a negócios", disse.
Outro estímulo ao setor foi o surgimento de mais espaços para eventos corporativos, o que provocou um aumento de 18% no volume de eventos. "O turismo de negócios na região movimentou R$ 450 milhões no primeiro trimestre deste ano, 10% mais que no mesmo período de 2009", afirmou o presidente do Campinas e Região Convention & Visitors Bureau, Luiz Antônio Guimarães. O número de executivos que viajam a Campinas a negócios, segundo ele, deve crescer 20% este ano. Em 2009, foram quase 1,5 milhão de visitantes.
Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado de São Paulo (ABIH), Maurício Bernardino, a região tem hoje cerca de 3,8 mil quartos e a expectativa é que até a Copa do Mundo de 2014 a oferta alcance até 5 mil unidades. No interior de São Paulo, segundo Bernardino, a região de Campinas é a que mais emite bilhetes turísticos, incluindo passagens aéreas, reservas de hotéis e cruzeiros.
O presidente da ABIH, que também é proprietário da Guest Hotelaria, vai investir R$ 22 milhões nos próximos dois anos, na construção de dois hotéis na área, um em Americana e outro em Hortolândia. A região metropolitana de Campinas reúne 19 municípios.
A média de ocupação dos hotéis nessas cidades, segundo José Porto, da Rede Vitória, voltou a crescer. "Em 2008 a média de ocupação era de 76% e caiu para 73% no ano passado. Mas no primeiro trimestre de 2010 subiu para 80%."
Outro dado que reforça a expansão da hotelaria de Campinas, segundo Porto, é a movimentação do aeroporto de Viracopos, o terceiro maior do Estado, que quadruplicou o número de passageiros em dois anos. "Campinas tem crescido, em média de 3% a 4% acima da média do país", disse.
O hotel de luxo que a Nogueira Porto está construindo vai demandar R$ 35 milhões e fica na Rodovia D. Pedro, ao lado do Shopping Galeria, de Campinas. Outros dois hotéis da rede, o Vitória Hotel Campinas e o Vitória New Port Residence estão sendo ampliados. O primeiro terá mais 120 apartamentos (hoje tem 140), dois novos restaurantes e mais quatro salões de convenção. Já o flat Vitória New Port passará a contar com 105 apartamentos, quase o dobro do atual.
A Nogueira Porto também lançará, até o fim do ano, um empreendimento comercial para grandes empresas na Estrada de Jaguariúna. Além de hotelaria – com três unidades em Campinas e três em Indaiatuba, Sumaré e Jaguariúna – o grupo atua ainda em construção civil e emprega cerca de 600 funcionários.

(Virgínia Silveira | Valor)
 

 

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.