Sorvete Rochinha terá nova fábrica em São Paulo

Depois de quase 20 anos fazendo sucesso nas praias do litoral paulista, a marca de sorvetes Rochinha finalmente chegará aos consumidores de outras regiões do país. Em abril do próximo ano, a empresa inaugura uma nova fábrica em São José dos Campos (SP), onde irá triplicar a produção atual de 60 mil picolés por dia e de 500 litros de sorvete por hora.

"Nosso espaço físico em São Sebastião, no litoral norte paulista, onde operamos nossa linha de produção, já não dá mais conta da demanda. Temos clientes que nos esperam a quase dois anos em várias partes do país", diz José Lopes, proprietário da Rochinha desde 1992, quando adquiriu a marca.

A marca Rochinha pertencia à família Rocha, tradicional do litoral norte paulista que vende picolés e sorvetes com a marca Rocha desde 1950. Um dos membros da família desistiu da Rochinha e a vendeu para Lopes pois a marca não deslanchou como a original. A marca de sorvetes Rocha continua sendo vendida.

Com um investimento de quase R$ 8 milhões e o dobro de funcionários (para 45), Lopes vai conseguir levar seus sorvetes agora para Florianópolis, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Recife. Hoje a Rochinha já está presente em mais de 300 pontos de venda em São Paulo e em 14 lojas franqueadas no litoral paulista e na capital.

Segundo Lopes, a Rochinha investiu em equipamentos sofisticados para a filtragem e purificação da água utilizada na fabricação dos sorvetes, bem como para pasteurizar o produto.

A Rochinha conta hoje com 200 carrinhos de sorvete para atuar nas praias, mas no próximo verão outros 50 carrinhos se somarão aos atuais. Com a inauguração da nova fábrica, a frota própria de caminhões frigorificados da Rochinha será ampliada de cinco para 15 veículos. "Nossos distribuidores, que hoje possuem um total de 15 caminhões, também deverão comprar novos veículos para atender a nova demanda de entregas da Rochinha", disse.

A marca também começará a atuar em redes de supermercado de grande porte. Segundo Lopes, faz tempo que o grupo Pão de Açúcar tem interesse em revender a marca em suas lojas, mas esbarrava sempre no problema da falta de estrutura da Rochinha para atender seus pedidos.

Estratégia que tem ajudado a conquistar consumidores, especialmente das classes A e B, é o marketing feito em associação com marcas do porte da Adidas, Natura, Bradesco, Itaú, Globo, Microsoft e Nivea, entre outras. "No São Paulo Fashion Week, a marca Cavalera abriu o seu desfile com os carrinhos da Rochinha, que distribuíram picolés para o público", disse. O Rei do Mate é outro parceiro da Rochinha – os produtos de ambas são vendidos nas lojas franqueadas das duas redes.

Com 29 sabores de picolé e outros 30 de sorvete de massa, a Rochinha entra no próximo verão com três lançamentos: jabuticaba (picolé), doce de leite (sorvete e picolé) e brigadeiro (picolé). Seus sorvetes custam entre R$ 2,50 e R$ 3,50. Lopes também quer ampliar a produção dos capilés (à base de água) e batilés (à base de leite). "Vendemos hoje uma média de 2 mil capilés e batilés por dia, mas com a nova fábrica vamos aumentar a produção para 5 mil por dia".

(Virgínia Silveira | Valor)
 

 

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.