WEG cresce no exterior com aquisições no México e África do Sul

A multinacional brasileira WEG, de Jaraguá do Sul, vai reforçar sua atuação no mercado internacional. Ontem, a companhia anunciou ao mercado a aquisição do controle acionário de duas companhias. Com 51% do ZEST Group, com sede na África do Sul, a fabricante de motores elétricos marca entrada no continente africano. Já o controle de 60% da fabricante de transformadores Voltran, no México, vai permitir à empresa reforçar a atuação no mercado energético dos Estados Unidos.

"As aquisições sempre fizeram parte da estratégia da WEG. Sempre avaliamos oportunidades de crescer", diz Harry Schmelzer Jr, presidente do grupo, em entrevista exclusiva ao Valor. De acordo com ele, os dois negócios foram fechados em menos de um mês. "A oportunidade surgiu e tivemos três ou quatro semanas de negociação", disse o presidente, depois de um dia de reunião com o conselho de administração da empresa. No acordo, a direção decidiu não informar os valores da transação.

Com o ZEST, a WEG vai reforçar a atuação no continente africano, o único onde ainda não tem unidade própria. "É o nosso primeiro passo na África. A partir da África do Sul queremos atender à África como um todo", disse. Segundo Schmelzer, a companhia vê com bons olhos o desempenho do continente africano e vê oportunidades de negócio entre empresas de mineração, petróleo, gás e energia.

"A África vem crescendo de maneira importante. Países têm previsões de crescimento de PIB na ordem de 4% e isso não é desconsiderado", afirmou. Há 30 anos, a WEG mantém parceria com o grupo ZEST, que importava e distribuía produtos da brasileira no sul da África. Com a aquisição de 51% do controle acionário, a WEG vai incorporar os serviços de montagem de painéis elétricos industriais, integração de produtos para a montagem de grupos geradores e prestação de serviços de comissionamento elétrico ao seu portfólio.

Schmelzer disse que no horizonte de médio prazo a aquisição da companhia deve ser integral. O grupo ZEST é líder no segmento de motores elétricos no mercado sul-africano, tem cerca de 400 funcionários e faturou mais de US$ 200 milhões no ano passado.

No México, a WEG entrou em acordo com a família Jimenez e vai assumir 60% do capital da Voltran. A parceria entre as duas companhias iniciou-se em 2006, quando a brasileira adquiriu 30% da mexicana. A Voltran atua no segmento de transformadores de distribuição e força, e teve faturamento de US$ 70 milhões em 2009.

Segundo Schmelzer, com a aquisição a WEG quer consolidar a sua presença na área de energia na América do Norte. A fábrica da Voltran será a sexta em funcionamento na área de transformadores industriais – hoje há quatro em operação no Brasil e outra no México. "Queremos crescer a nossa atuação em energia nos EUA", destacou ele. A intenção é atender o mercado interno mexicano com as marcas Voltran e WEG. Nas exportações para os EUA, a marca WEG terá exclusividade.

Sobre as oscilações dos mercados, o presidente disse que é difícil fazer previsões, mas aposta no crescimento interno e na recuperação da economia americana. "Nos EUA, a WEG já sentiu a recuperação dos negócios", afirmou.

(Júlia Pitthan | Valor)
 

 

 

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.