CPC 01 – Teste de Impairment: Dicas para a Revisão Anual

(Luiz Paulo Silveira | Vice-presidente Técnico da Apsis)

Um ano novo começa. E com ele chegam novos desafios, metas de vendas arrojadas, orçamentos revisados. Para os participantes do mercado, agora existe mais um indicador a ser monitorado nas Demonstrações Contábeis, principalmente nas Cias abertas: os ativos de longo prazo e respectivos testes de recuperabilidade.

Nos últimos anos, presenciamos no Brasil uma demanda aquecida por investimentos. Enquanto o mundo desenvolvido amargava uma lenta recuperação de sua atividade econômica, países considerados emergentes como o nosso foram alvo de investidores ávidos por taxas de retorno positivas e com perspectivas de crescimento real. Proliferaram-se então os processos de aquisição e fusão, tanto de companhias nacionais, quanto internacionais, com o objetivo de consolidar praticamente todos os segmentos da economia, promovendo ganhos de escala e maior acesso aos mercados finais. Fundos de Investimento especializados por setor da indústria foram um dos catalisadores deste processo expansionista e consolidador.

Como resultado deste boom econômico brasileiro, temos hoje os balanços das empresas recheados de mais valias e goodwill. Neste aspecto, os investidores destas empresas podem agradecer a ajuda do IFRS na implementação de um mecanismo de feedback sobre a política de investimentos, conhecido como teste de impairment. Através deste teste, a companhia é obrigada a verificar a consistência do seu fluxo de caixa real com as projeções realizadas por ocasião de cada aquisição, e que fundamentaram o preço pago. É um mecanismo dos mais relevantes criado pelo novo padrão contábil, e que deve ser aplicado com todo critério para que as metodologias e premissas adotadas na avaliação dos ativos adquiridos sejam analisadas vis a vis a realidade percebida. Como já disse em artigos anteriores, a implementação de um sistema de controle e monitoramento de todos os inputs utilizados nas metodologias de avaliação é fundamental para a execução do teste de forma transparente para todos os investidores.

Não espere seu auditor cobrar este teste de você. Entre em contato com a gente, para que possamos realizá-lo de forma sistemática em conformidade com os padrões contábeis internacionais. Nossa equipe técnica é credenciada nas maiores instituições certificadoras de avaliadores no mundo, como a ASA (American Society of Appraisers) e IACVA (International Association of Consultants, Valuators and Analysts).

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.