Leilão de 4G vai ser “disputa a tapas”, diz Paulo Bernardo

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou que há muitas empresas interessadas na concorrência do leilão de quarta geração (4G) de telefonia e que haverá uma “disputa a tapas” entre as empresas. Ironicamente, o leilão está marcado para ocorrer no dia 12 de junho, dia dos namorados.
 
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulga hoje o edital de licitação de novas frequências para ampliação da telefonia e do acesso móvel à internet. A licitação refere-se às faixas de 450 MHz, destinada à ampliação da cobertura dos serviços na área rural, e de 2,5 GHz, voltada à implementação da quarta geração da telefonia móvel pessoal.
 
A faixa de 450 MHz era utilizada para os serviços de comunicação via rádio pela Polícia Civil, que migrará para outra faixa. Segundo presidente da Anatel, João Rezende, há hoje oito milhões de famílias vivendo na zona rural, onde o serviço atual é precário.
 
Já a faixa de 2,5 GHz, voltada para grandes centros urbanos, permite o tráfego elevado de dados, privilegiando a navegação por internet nos dispositivos móveis.
 
Bernardo disse que a expectativa é de que os serviços estejam disponíveis após um ano do leilão e que a execução do prazo será cobrado.
 
Terceira geração
 
O Brasil ainda tem 1 mil municípios que não tem acesso aos recursos da telefonia de terceira geração (3G), que permite o acesso à banda larga em aparelho celular.
 
Segundo o superintendente de serviços públicos da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), essa limitação deixará de existir com a concorrência das faixas de 450 MHz e de 2,5 GHz.
 
A falta de acesso à banda larga na telefonia móvel está concentrada em municípios com menos de 30 mil habitantes.
 
(André Borges | Valor)
 

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.