Ofertas de ações podem superar recorde de 2007

São Paulo – As ofertas de ações no mercado brasileiro poderão superar, em 2010, o valor recorde de R$ 75 bilhões registrado em 2007 se a capitalização da Petrobras sair de fato. A avaliação é do vice-presidente da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), Alberto Kiraly.

"O total de captações de renda variável chegou a R$ 24,311 bilhões de janeiro a julho. Se somarmos esse valor ao da oferta da Petrobras e ao que já está na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o total pode ser superior ao de 2007", afirmou.  A capitalização da Petrobras está prevista para ocorrer em setembro. A operação é estimada em torno de US$ 60 bilhões por analistas financeiros.

O vice-presidente da Anbima ressaltou que a prioridade dos investidores, no momento, é saber como será feita a oferta da estatal. "Os grandes investidores estão se resguardando até saber qual será o formato da oferta. Quando a operação for concluída, abrirá espaço para outras ofertas", disse. Ele acrescentou que "ninguém quer estar no mercado ao mesmo tempo que a Petrobras".

Os lançamentos iniciais de oferta pública de ações (IPO, na sigla em inglês) responderam por R$ 8,010 bilhões das operações de renda variável até julho, enquanto as ofertas de empresas que já estão listadas na bolsa (follow-ons) foram responsáveis pelos demais R$ 16,301 bilhões. Enquanto os IPOs tiveram queda de 4,6%, os follow ons aumentaram 34,4% ante os sete primeiros meses do ano passado. "O mercado brasileiro continua aberto e receptivo, e é possível fazer operações de grande porte de renda variável", disse Kiraly.

O representante da Anbima disse ainda que o mercado internacional apresentou "certa estabilidade" nos últimos 45 dias, mas que até setembro, quando termina o verão no Hemisfério Norte, os investidores internacionais estarão atentos a dados como o crescimento chinês e o norte-americano.

Operações do mercado de capitais crescem 27,5% até julho

As operações do mercado de capitais cresceram 27,5% no acumulado de janeiro a julho deste ano ante igual período do ano passado, para R$ 64,5 bilhões, conforme divulgou a Anbima. "Isso resulta da recuperação dos mercados. A crise na Europa impactou a atividade, mas estamos tendo um ano bastante importante", disse o vice-presidente da Anbima, Alberto Kiraly.

As emissões de debêntures responderam por R$ 24,6 bilhões, enquanto as de ações, pelo dobro dos R$ 12,3 bilhões registrados no mesmo período do ano passado. Foram realizadas 62 emissões de debêntures. Os follow-ons (emissões de ações) chegaram a R$ 16,3 bilhões.

No mercado externo, as captações somaram US$ 19,2 bilhões no primeiro semestre deste ano, ante US$ 6,2 bilhões no mesmo período do no passado. Não houve emissões em julho de 2010.
 
(Chiara Quintão | Agência Estado)
 

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.