Atento do Brasil exporta executivo e plano de expansão

Crescer nos atuais mercados onde atua e inaugurar operações na Ásia, Inglaterra e Alemanha com uma estratégia desenvolvida no Brasil, a de oferecer produtos e serviços de maior valor agregado. Essa é a meta do novo presidente mundial da empresa espanhola de call center Atento, o brasileiro Agnaldo Calbucci, um dos fundadores da filial brasileira, inaugurada há 10 anos.

Daqui a um mês, Calbucci vai trocar definitivamente de endereço. Deixa a sala da presidência do Brasil, em São Paulo, e começará a despachar de Madri. Ele soube da mudança em 29 de abril, quando o conselho de administração da Atento anunciou que ele havia sido escolhido para ocupar a presidência mundial da empresa, pertencente ao grupo Telefônica. A Atento é a terceira maior do setor no mundo e a segunda no Brasil, em faturamento.

Desde que foi escolhido, Calbucci passou a frequentar a "ponte aérea" São Paulo-Madri e entrou no pequeno grupo de executivos brasileiros que foram alçados ao comando de grandes corporações globais. Do Brasil, que responde por quase metade do faturamento do grupo, de € 1,3 bilhão em 2009, ele conta que vai levar a estratégia que fez com que a Atento dobrasse duas vezes de tamanho em oito anos. Por aqui, a Atento tem crescido mais rápido e a taxas de dois dígitos com a venda de serviços como crédito imobiliário.

"Já estamos levando a estratégia do Brasil para o resto do mundo. O que vou fazer é implementá-la mais agressivamente", afirma Calbucci. De acordo com ele, há um grande potencial de crescimento da Atento especialmente na América Latina. A Atento tem operações próprias em 17 países, com 67 mil posições de atendimento, 100 centrais de atendimento e 132 mil funcionários. Apenas no Brasil são 75 mil empregados.

Calbucci destaca que também vai buscar expansão em mercados como África, Marrocos, Espanha, e Porto Rico. "Vamos levar a cultura que foi implementada no Brasil, a crença de que as pessoas fazem diferença e podem produzir resultados diferentes. A gente vai levar essa filosofia para toda a empresa no mundo inteiro", afirma o novo presidente mundial da empresa, de 51 anos, formado em Administração de Empresas pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP).

Calbucci se referiu a um processo de reestruturação da Atento no Brasil que durou pouco mais de dois anos. A empresa aplicou R$ 50 milhões para ter a orientação de três consultorias. Foram contratados cerca de 200 executivos do mercado. Em torno de 100 pessoas saíram da Atento nesse período. A reorganização, concluída no ano passado, resultou na reformulação de duas diretorias e a criação de uma nova.

A expansão da Atento na Europa e América Latina, mais a consolidação da reestruturação no Brasil vão acontecer ao mesmo tempo, diz Calbucci. Ele acredita que há chances de a empresa por um pé no mercado asiático ainda este ano, de forma "embrionária".

O executivo conta que ainda não tem informação sobre o orçamento que terá à disposição para poder implementar seus projetos de expansão na operação global da Atento. No entanto, diz que não está preocupado com isso. "O conselho e os acionistas da empresa não limitam a gente com o orçamento. Eles perguntam o que vamos fazer. Pedimos o orçamento que queremos e assumimos o risco e a execução. Não tem limite, desde que faça sentido e que haja um plano coerente", afirma.
 
(Alberto Komatsu | Valor)

 

 

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.