Concessionárias aguardam novas licitações este ano

O movimento nas rodovias pedagiadas continua em alta este ano no Brasil. Mas as concessionárias aguardam novas licitações que ainda devem ser anunciadas pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e pelos governos estaduais.

De acordo com o índice ABCR de Atividade, baseado no fluxo de veículos leves e pesados que trafegam pelos 15.365 quilômetros de rodovias pedagiadas, houve em março deste ano um crescimento de 3,4% em relação ao mesmo mês do ano passado, puxado principalmente pela alta de 6,6% no movimento de veículos pesados. Nos últimos 12 meses, a evolução é de 5,8%.

"Nossa média histórica é crescer sempre acima do PIB e acredito que no decorrer de 2012 não será diferente", afirma Moacyr Duarte, presidente da ABCR (Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias), entidade que congrega 55 empresas que operam em nove Estados.

Após um período de ebulição entre 2007 e 2008, o setor entrou em calmaria. No ano passado, houve apenas a licitação dos 45 km da Rota do Atlântico, em Pernambuco, vencida pela concessionária Rota do Atlântico, do Grupo Invepar.

Até o momento, não foi anunciada nenhuma licitação estadual ou federal. Segundo o presidente da ABCR, o setor espera que sejam abertos editais para trechos da BR-040 e BR-116, ambos em Minas Gerais, e na BR-470, em Santa Catarina.

Em janeiro deste ano, houve o leilão dos 487 quilômetros do trecho capixaba da BR-101 e quem levou a melhor foi a EcoRodovias, que vai explorar o trecho por 25 anos, com projetos de investimentos da ordem de R$ 2,15 bilhões em obras.

O grupo mantém cinco empresas que operam algumas das mais importantes rodovias do país, como os sistemas Anchieta/Imigrantes e Ayrton Senna/Carvalho Pinto, a rodovia que liga Curitiba ao Porto de Paranaguá e mais de 600 quilômetros de rodovias federais no Rio Grande do Sul. A empresa deve investir este ano R$ 150 milhões.

A Triunfo Participações, que controla as empresas Concer (entre Rio e Juiz de Fora), Concepa (no Rio Grande do Sul) e Econorte (no Paraná) já investiu mais de R$ 900 milhões nas rodovias administradas e pretende investir R$ 300 milhões no trecho de duplicação da Serra de Petrópolis (RJ).

No âmbito estadual, o diálogo entre o poder público e uma concessionária já resultou em até redução de pedágio, como na rodovia estadual Via Lagos (RJ-124), administrada desde 1996 pela CCR. A concessionária ganhou mais 15 anos e, como compensação, vai investir R$ 120 milhões na construção de muretas e já reduziu as tarifas de R$ 10,30 para R$ 8,60 nos dias úteis e de R$ 15,70 para R$ 14,30 nos finais de semana e feriados. A CCR tem sob concessão a Ponte Rio-Niterói, a Via Dutra e o sistema Anhanguera/Bandeirantes, entre outras rodovias, que perfazem 2.437 quilômetros de malha rodoviária.

(Guilherme Meirelles | Valor Econômico)

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *