Ficou menos rentável alugar imóveis

Comprar um imóvel agora para depois alugá-lo passou a ser menos vantajoso porque o preço da locação não tem acompanhado a alta do valor de casas e apartamentos.

A forte valorização imobiliária é uma excelente notícia para todos que investiram em casas e apartamentos há alguns anos. Em cidades como São Paulo ou Rio de Janeiro, são muitos os casos de gente que conseguiu dobrar o capital investido em períodos razoavelmente curtos de tempo, como três a quatro anos. Já quem só juntou dinheiro ou tomou coragem para investir em um imóvel agora precisará assumir dois riscos. O primeiro é que o melhor da festa do boom imobiliário pode já ter ficado para trás. O valor médio dos imóveis no Brasil aparece apenas como o 64º maior em um ranking com 90 países elaborado pela Global Property, mas é difícil de imaginar que o atual ritmo de crescimento de preços possa se sustentar no longo prazo.

Além disso, como os imóveis subiram muito mais que os aluguéis, a rentabilidade do investidor que comprar com a finalidade de locação será bem menor. Segundo pesquisa do Secovi-SP (o sindicato da habitação), o valor dos contratos de aluguel fechados em abril teve um aumento de 11,4% em relação ao mesmo mês de 2009. Trata-se de um reajuste significativo. No entanto, o preço dos imóveis subiu muito mais. Pesquisa da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp) mostra que o metro quadrado de imóveis de dois dormitórios teve alta de exorbitantes 42,8% no primeiro quadrimestre deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado. No caso dos imóveis de três e quatro dormitórios, o aumento foi de 27%.

Sempre que o preço do imóvel sobe mais que o aluguel, há inevitavelmente queda de rentabilidade. Em alguns casos, já é possível pagar uma locação mensal equivalente a 0,4% do valor do imóvel, segundo Roseli Hernandes, gerente-geral da imobiliária Lello, uma das maiores de São Paulo. "Valores de 0,5% ou menos são desestimulantes para quem obtém renda com aluguel", diz o vice-presidente de locação do Secovi-SP, Francisco Crestana. Com a alta dos juros, novamente será possível obter no Brasil retornos próximos a 1% ao mês com aplicações financeiras de baixíssimo risco. Nesse cenário, só os investidores que comprarem imóveis que continuarem a ter boa valorização conseguirão bater os retornos oferecidos pelos títulos públicos.

Se você acredita que o boom imobiliário ainda está longe do fim, o conselho dos especialistas é comprar um apartamento pequeno com condomínio barato. Esse tipo de imóvel ainda pode ser alugado por um valor mensal equivalente a 0,7% de seu preço, segundo Roseli, da Lello. "Um apartamento pequeno em Pinheiros que eu alugava no ano passado por 1.100 reais agora me rende 1.700 reais mensais", diz Luiz Calado, autor do livro "Imóveis – Seu Guia para Fazer da Compra e Venda um Grande Negócio" e vice-presidente do Ibef. Os inquilinos têm aceitado esse tipo de reajuste justamente por terem poucas opções. A demanda por imóveis pequenos permanece forte principalmente entre pessoas solteiras ou recém-casadas que ainda não sabem se vão se tornar moradores permanentes da cidade. Esse é o caso de estudantes ou de pessoas que conseguem um emprego novo em São Paulo e deixam a família morando no município de origem – gente que dificilmente opta pela compra ao invés da locação.

(João Sandrini | Portal Exame)

 

+ posts

Share this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.